NASA confirma Satélite IMAGE descoberto por astrónomo amador

Descoberta do Satélite IMAGE feita por astrónomo amador, em 20 de janeiro, foi agora confirmada pela NASA. O satélite lançado para o espaço em 2000 deixou de comunicar em 2005. A NASA está a tentar refazer o software para aceder ao satélite.

0
Satélite IMAGE
Satélite IMAGE. Foto: NASA

Um astrónomo amador registou observações de um satélite na órbita terrestre alta em 20 de janeiro de 2018, que indicaram tratar-se do satélite Imager for Magnetopause-to-Aurora Global Exploration (IMAGE), uma missão da NASA lançada em órbita em torno da Terra em 25 de março de 2000.

A NASA indicou, em comunicado, que para determinar se as observações do astrónomo amador estavam corretas, o Goddard Space Flight Center, em Greenbelt, Maryland, coordenou a utilização de cinco antenas em locais diferentes para adquirir sinais de radiofrequência do objeto espacial.

A partir de segunda-feira, 29 de janeiro, foram feitas observações a partir dos cinco locais e verificaram que eram consistentes com as características de radiofrequência esperadas do satélite IMAGEM. Especificamente, a frequência de rádio mostrou um pico que era esperado na frequência central, bem como bandas laterais consistentes com as próprias do IMAGEM. A oscilação do sinal também foi consistente com a última taxa de rotação conhecida para o IMAGEM.

Na tarde de 30 de janeiro, o Johns Hopkins Applied Physics Lab, em Laurel, Maryland, recolheu com sucesso, dados de telemetria do satélite. O sinal mostrou que a identificação do objeto espacial era 166, ou seja, o ID do IMAGEM.

A NASA indicou que conseguiu ler alguns dados de base da nave espacial, e que os dados sugerem que pelo menos o sistema de controlo principal se encontra operacional. Cientistas e engenheiros no Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland, vão continuar a analisar os dados da nave espacial para conhecer o estado atual da nave espacial. Um processo que a NASA prevê que dure entre uma a duas semanas, dado que requer a adaptação de software antigo e de bases de dados de informações ao sistemas mais modernos.

A NASA vai tentar a seguir captar e analisar os dados dos sinais. O desafio de decodificar o sinal é principalmente técnico. A NASA indicou que já não dispõe há muito tempo de hardware e dos sistemas operativos utilizados no Centro de Operações da Missão do IMAGE. Os sistemas foram atualizados com várias novas versões, pelo que neste caso vai exigir uma engenharia reversa.

Se a decodificação de dados for bem-sucedida, a NASA indicou que vai procurar ativar o módulo de ciência, atualmente desligado, para entender o estado dos vários instrumentos científicos. Enquanto aguarda o resultado destas atividades, a NASA vai decidir como proceder.

O satélite IMAGEM foi projetado para uma imagem da magnetosfera da Terra e produzir as primeiras imagens globais das populações de plasma. Depois de completar e estender sua missão inicial de dois anos em 2002, o satélite inesperadamente não conseguiu entrar em contacto numa passagem de rotina, em 18 de dezembro de 2005, e depois de um eclipse em 2007 não ter induzido uma reinicialização.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!