Obesidade mórbida: bypass gástrico e gastrectomia vertical são comparáveis

Estudo conclui que são idênticos os resultados do bypass gástrico e da gastrectomia vertical na redução de peso, na situação de obesidade mórbida, e que no caso de refluxo de ácido gástrico, o bypass apresenta melhores resultados.

0
Dois tipos de cirurgia para obesidade severa: no caso de bypass gástrico, parte do estomago é do intestino delgado é ignorado (esquerda), enquanto no caso do peritoneu, o volume do estomago é reduzido (à direita).
Dois tipos de cirurgia para obesidade severa: no caso de bypass gástrico, parte do estomago é do intestino delgado é ignorado (esquerda), enquanto no caso do peritoneu, o volume do estomago é reduzido (à direita). Ilustrações: © USZ, Visceral Surgery

Os bypass gástricos e as operações de gastrectomia vertical ou gastrectomia em manga têm resultados semelhante: os pacientes perdem dois terços do excesso de peso a longo prazo, revela estudo realizado por investigadores da Universidade de Basileia, no St. Claraspital, e já publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA).

A obesidade mórbida e as doenças associadas, como diabetes, doenças cardiovasculares e cancro, estão generalizadas no mundo ocidental. Atualmente, as intervenções cirúrgicas são a medida mais eficaz para as pessoas com obesidade severa, isto é, com um Índice de Massa Corporal (IMC) superior a 35.

A cirurgia padrão consiste num bypass gástrico, onde parte do estômago e do intestino delgado são ignorados. Mas outros métodos também estão a tornar-se mais populares, como a gastrectomia vertical ou em manga, em que o volume do estômago é reduzido. Esta operação é tecnicamente mais fácil de executar e tem uma baixa taxa de complicações mesmo em pacientes com IMC muito alto.

Mais de 200 pacientes examinados

Para comparar os dois tipos comuns de cirurgia, os investigadores analisou 217 pacientes com obesidade mórbida. Metade recebeu um bypass gástrico e outra metade uma gastrectomia vertical. A idade média dos pacientes era de 45,5 anos e 72% eram mulheres. O estudo foi conduzido em quatro locais na Suíça e foi liderado por Ralph Peterli da Universidade de Basileia no St. Claraspital. Na Suíça são realizadas 5.500 operações para combater a obesidade mórbida todos os anos.

Os investigadores verificaram que em termos de perda de peso, os dois tipos de cirurgia levaram a resultados semelhantes ao fim de cinco anos após a cirurgia. Os pacientes perderam 68% do excesso de peso após o bypass gástrico e 61% após a gastrectomia vertical. O IMC também caiu de 44 para 32 depois de ambas as operações.

O estudo indica que as doenças associadas, como hipertensão, diabetes, lipídios sanguíneos alterados, dores nas costas ou dores articular e a depressão, melhoraram, bem como a qualidade de vida geral.

Melhoria no refluxo ácido gástrico

No caso dos pacientes com refluxo ácido gástrico, o estudo indica que foram mais beneficiados os pacientes submetidos uma operação de bypass gástrico, tendo os sintomas sido eliminados em 60%, e no caso dos pacientes submetidos a uma gastrectomia vertical tiveram apenas uma redução de 25% dos sintomas.

A gastrectomia vertical também provocou uma deterioração ou aparecimento de um novo refluxo ácido gástrico significativamente mais frequentemente. O estudo indica ainda que foram necessárias outras intervenções em 22% dos bypass gástricos e 16% no caso das gastrectomias verticais.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!