Prevenir e tratar erupções da pele mais comuns

Inflamações ou erupções da pele são muitas vezes frequentes no verão e podem ser dolorosas e ter consequências graves. Como prevenir e tratar as erupções da pele? Dermatologista da Academia Americana de Dermatologia faz recomendações.

0
Prevenir e tratar erupções da pele mais comuns
Prevenir e tratar erupções da pele mais comuns. Foto: Academia Americana de Dermatologia

Muitas pessoas tendem a passar mais tempo ao ar livre nomeadamente em zonas de campo, praias fluviais e em passeios junto ao mar. Caminhadas na floresta e nadar podem fornecer melhores condições para manter as medidas de distanciamento social, nestes tempos de pandemia de COVID-19.

Os dermatologistas da Academia Americana de Dermatologia (AAD) dizem que o aumento da exposição à luz solar, a insetos e a plantas venenosas nos campos e nas praias pode causar erupções cutâneas dolorosas e com irritação da pele que causa comichão. Felizmente, existem algumas etapas simples que as pessoas podem realizar para evitar erupções cutâneas indesejadas e outros problemas de pele enquanto aproveitam o ar livre.

“Se há algum benefício desta pandemia, é poder passar mais tempo ao ar livre, o que é ótimo para a nossa saúde mental e física”, referiu a dermatologista Elizabeth Kiracofe, membro da AAD. Mas a dermatologista acrescenta: “Ao passar algum tempo ao ar livre, especialmente durante o verão, é importante tomar os devidos cuidados para evitar erupções cutâneas, como erupção cutânea pelo calor e hera venenosa, bem como queimaduras solares, que podem aumentar o risco de cancro da pele.”

Para ajudar a prevenir e tratar as erupções da pele comuns, no verão, e outros problemas de pele, a dermatologista Elizabeth Kiracofe faz as seguintes recomendações:

1.Erupção da pele: quando as glândulas sudoríparas estão bloqueadas, isso pode causar uma erupção cutânea e pequenas erupções cutâneas que levam a causar comichão na pele. Para ajudar a prevenir erupções cutâneas em dias quentes, devem ser usadas roupas de algodão leves e largas e planear as atividades ao ar livre durante os períodos mais frescos do dia, quando possível. Em casa, mantenha a pele fresca usando ventiladores e ar-condicionado e tomando banho com água fria.

2.Plantas venenosas: muitas pessoas têm erupções na pele após entrarem em contato com plantas venenosas, como a hera venenosa, carvalho e sumagre e cherovia selvagem. Para evitar erupções cutâneas causadas por estes tipos de plantas, aprenda como reconhecê-las e, em seguida, evitá-las. Se passar algum tempo numa área arborizada ou num local conhecido por ter plantas venenosas, cubra-se com roupas, incluindo mangas compridas, calças, meias e botas.

Se entrar em contato com estas plantas deve lavar imediatamente a pele com água morna e sabão. Como os óleos de hera venenosa, carvalho e sumagre podem permanecer nos objetos por longos períodos de tempo, lavar tudo que possa ter entrado em contacto com as plantas, incluindo as roupas. Se tiver uma erupção na pele, deixe todas as bolhas isoladas e evite coçar. Aplicar uma loção de calamina ou creme de hidrocortisona para aliviar. No entanto, se a erupção for extensa ou não aliviar com estes medicamentos, consultar um dermatologista especializado.

3.Queimaduras solares: as queimaduras solares são mais bem prevenidas do que tratadas. Para evitar as queimaduras solares, procurar a sombra, usar roupas de proteção solar – incluindo um chapéu de aba larga – e aplicar um protetor solar de amplo espectro resistente à água com FPS 30 ou superior em todas as peles não cobertas por roupas. Deve ser reaplicado o protetor solar a cada duas horas ou após nadar ou suar. Se tiver uma queimadura de sol, colocar uma toalha fria e húmida na área durante 10 a 15 minutos algumas vezes ao dia ou tomar banhos ou duches em água fria para aliviar a dor. Também pode se aplicar um hidratante ou um creme de hidrocortisona. Evitar cremes que contenham petróleo, benzocaína ou lidocaína, que podem irritar a pele.

4.Comichão do nadador: Se notar uma erupção na pele após passar por água num rio ou nadar num lago ou no mar, pode ter comichão do nadador (dermatite cercarial). Essa erupção é causada por parasitas que penetram na pele em áreas não cobertas pelo fato de banho. Se desenvolver uma erupção, não deve voltar para a água. Deve aliviar a coceira aplicando um creme de corticosteroide ou compressa fria ou mergulhando num banho de aveia coloidal.

5.Erupção do banhista: Também designada por pica-pica é uma erupção maculopapular. Esta erupção cutânea desenvolve-se em pessoas que frequentam zonas de mar com anémonas-do-mar recém-nascidas que ficam presas entre a pele e o fato de banho, ou outro equipamento. A melhor maneira de prevenir esta erupção é ficar fora da água infestada. No entanto, se considerar que foi exposto, então deve remover a roupa de banho o mais rápido possível e lavar-se em água doce. Para matar qualquer larva presa no tecido, lavar a roupa de banho em água quente e coloca-la a secar na máquina. Para aliviar a comichão, deve ser aplicada uma compressa fria, mergulhar em um banho de aveia coloidal ou aplicar uma loção de calamina ou creme de hidrocortisona. Tomar um comprimido anti-histamínico também pode ajudar.

6.Picadas de insetos: Embora a maioria das picadas de insetos seja inofensiva, algumas podem espalhar doenças perigosas como o vírus Zika, dengue, doença de Lyme e malária. Para evitar picadas de insetos, especialmente em áreas com doenças conhecidas transmitidas por insetos, deve ser usado repelente de insetos que contenha de 20 a 30% de DEET e vestir roupas adequadas, como camisas de mangas compridas, calças, meias e sapatos fechados em vez de sandálias. Para tratar picadas dolorosas, como picada de abelha, deve ser tomado um analgésico de venda livre, como paracetamol ou ibuprofeno. Para picadas com irritação da pele, aplicar um saco de gelo ou um creme anti-comichão de venda livre, como a hidrocortisona. Para reduzir o inchaço, aplique um saco de gelo sobre a picada.

7.Irritação pela máscara facial: Embora usar uma máscara facial não seja necessário para atividades individuais, como jardinagem, se estiver de passar um tempo ao ar livre com outras pessoas, é importante manter o distanciamento social e usar uma máscara para ajudar a prevenir a disseminação do coronavírus. No entanto, o uso de máscaras pode causar problemas de pele, como acne ou secagem da pele, sem as devidas precauções.

Para ajudar a evitar a irritação causada pelo uso de uma máscara facial, certifique-se de que sua máscara está justa, mas confortável e é feita de tecido respirável, como o algodão. Evite tecidos sintéticos, como náilon, poliéster e raiom, pois têm maior probabilidade de irritar a pele e causar erupções cutâneas. A máscara deve ser lavada após cada uso e, se possível, não deve ser usada maquiagem. Se precisar usar maquiagem, procurar produtos rotulados como “não comedogénico” ou “sem óleo”. Além disso, seja gentil com sua pele. Use produtos de limpeza e hidratantes sem fragrância. Limite a lavagem do rosto a duas vezes por dia e depois de suar e aplicar hidratante antes e depois de usar a máscara, especialmente no caso de pele seca ou sensível.

“As erupções cutâneas mais comuns no verão devem desaparecer em alguns dias ou semanas”, referiu a dermatologista Kiracofe. “No entanto, se uma erupção cutânea ou outro problema de pele persistir ou piorar, deve ser consultado um dermatologista para um diagnóstico e tratamento adequados. Durante a pandemia, os consultórios de dermatologia tomaram precauções extras de acordo com as diretrizes das autoridades de saúde para garantir a saúde e a segurança dos pacientes, e muitos também oferecem consultas pela Internet”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!