Reino Unido: Testes rápidos para a COVID-19 são importantes para travar pandemia

No Reino Unido aumentam os testes rápidos para a COVID-19 para travar a propagação da doença. Os testes rápidos identificam pessoas infetadas assintomáticas com alto nível de coronavírus, e assim, com alto potencial na transmissão da COVID-19.

0
Reino Unido: Testes rápidos para a COVID-19 são importantes para travar pandemia
Reino Unido: Testes rápidos para a COVID-19 são importantes para travar pandemia. Foto: © Rosa Pinto

Cerca de uma em cada três pessoas infetadas com coronavírus nunca apresenta sintomas, mas isso não significa que não sejam infeciosas. As pessoas infetadas com coronavírus mas assintomáticas também transmitem a COVID-19 a outras, indicou Susan Hopkins, Conselheira médica do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido.

A especialista afirmou: “Precisamos usar tudo o que está ao nosso alcance para encontrar esses indivíduos sem sintomas e apoiá-los e os seus contatos para os isolar a fim de quebrar as cadeias de transmissão.” Para isso estão a ser expandidos os testes em especial no local de trabalho para encontrar os infetados e proteger os serviços vitais bem como apoiar os empresários para que as empresas funcionem.

Para Susan Hopkins os testes comunitários que usam dispositivos de fluxo lateral para testar o coronavírus (COVID-19) podem dar um resultado rápido em menos de 30 minutos sem a necessidade de testes laboratoriais, podem ajudar a identificar pessoas com altos níveis de vírus e sem sintomas, que de outra forma não seriam testados.

“Além disso, como esses testes detetam casos com altos níveis do vírus, eles são eficazes para localizar os indivíduos com maior probabilidade de transmitir a doença. Cada indivíduo positivo detetado pode interromper uma cadeia de transmissão, uma vez que esses indivíduos e seus contatos se isolem durante 10 dias. As autoridades locais podem apoiar os indivíduos que precisam de se isolar, fornecendo-lhe ajuda nas compras, acesso a medicamentos e a outros serviços vitais”, referiu a Conselheira médica do Serviço Nacional de Saúde.

Assim a especialista acrescentou: “Um aumento de testes assintomáticos ajudará a encontrar mais casos e apoiar indústrias críticas. O aumento dos testes assintomáticos permitirá que aqueles que desempenham papéis essenciais mantenham o país em movimento.”

Susan Hopkins concluiu: “Os dispositivos de fluxo lateral por si só não são uma solução mágica para impedir a propagação do vírus, mas sabemos que podem ajudar a detetar rapidamente um grande número de casos positivos. Pois são outra ferramenta vital para nos ajudar a combater o coronavírus.”

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!