Satélite Copernicus Sentinel-6A entrou em testes

Engenheiros da Airbus estão a testar o satélite Copernicus Sentinel-6A para ser lançado para o espaço. O Sentinel-6A vai medir a altura da superfície do mar à escala global e disponibilizar dados sobre correntes oceânicas, velocidade do vento e altura das ondas.

0
Satélite Copernicus Sentinel-6A entrou em testes
Satélite Copernicus Sentinel-6A entrou em testes. Foto: © ESA

Os engenheiros espaciais da Airbus estão atualmente a testar o satélite Copernicus Sentinel-6A no Centro de Testes Espaciais da Industrieanlagen-Betriebsgesellschaft mbH (IABG) em Ottobrunn, perto de Munique, para provar sua disponibilidade para ser lançado no espaço. Durante os testes, que devem decorrer até à primavera de 2020, a equipa da Airbus vai verificar se o satélite é capaz de sobreviver às severas condições de lançamento e ao ambiente espacial.

A “Copernicus Sentinel-6” é uma missão operacional de altimetria oceânica para fornecer continuidade das medições da topografia oceânica na próxima década. O Sentinel-6 transporta um altímetro de radar para fornecer observações de alta precisão da altura da superfície do mar à escala global. Esta informação é essencial para monitorar continuamente as mudanças do nível do mar, um indicador chave das mudanças climáticas. Também é essencial para a oceanografia operacional. Mapeando até 95% do oceano sem gelo a cada 10 dias. O Sentinel-6 permite oferecer informações vitais sobre correntes oceânicas, velocidade do vento e altura das ondas para segurança marítima.

Os dados da missão “Copernicus Sentinel-6” vão permitir que governos e instituições estabeleçam uma proteção efetiva para as regiões costeiras. Os dados serão inestimáveis ​​não apenas para as organizações de ajuda humanitária, mas também para as autoridades envolvidas no planeamento urbano, na proteção de prédios ou na gestão de diques.

Atualmente, o nível global do mar está a aumentar em média 3,3 milímetros, por ano, como resultado do aquecimento global, o que pode ter consequências dramáticas para os países com áreas costeiras densamente povoadas.

Dois satélites Sentinel-6 para o Programa Copernicus Europeu de meio ambiente e segurança foram desenvolvidos sob a liderança industrial da Airbus. Embora seja uma das famílias de missões de satélite Copernicus da União Europeia, o Sentinel-6 também está a ser desenvolvido com cooperação internacional entre ESA, NASA, NOAA e Eumetsat.

Cada satélite pesa aproximadamente 1,5 toneladas. A partir de novembro de 2020, o Sentinel-6A será o primeiro dos dois satélites do Sentinel-6 a continuar a recolher medições baseadas em satélite das superfícies dos oceanos, uma tarefa iniciada em 1992. Espera-se que o Sentinel-6B siga até em 2025.

O Sentinel-6 baseia-se nas séries de satélites de topografia oceânica Jason e das missões da ESA CryoSat-2 e Sentinel-2, bem como GRACE, que foram fabricadas sob a liderança industrial da Airbus.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!