Segunda dose de vacina mRNA COVID-19 é segura após reações alérgicas à primeira dose

Investigação mostra que a segunda dose da vacina mRNA COVID-19 é considerada segura para as pessoas que desenvolveram reações alérgicas após a primeira dose. Em algumas situações os alergistas devem avaliar risco/benefício da segunda dose.

0
Segunda dose de vacina mRNA COVID-19 é segura após reações alérgicas à primeira dose
Segunda dose de vacina mRNA COVID-19 é segura após reações alérgicas à primeira dose. Foto: TVEuropa

Uma análise hospitalar sobre indivíduos que experimentaram uma reação alérgica quando da toma da primeira dose de uma vacina mRNA contra a COVID-19, mostra que todos os pacientes que receberam uma segunda dose não manifestaram reações e a vacina foi tolerada sem complicações.

O estudo, que foi liderada por alergistas do Massachusetts General Hospital (MGH), EUA, e publicado no “JAMA Internal Medicine”, indica que uma reação à toma da primeira dose da vacina COVID-19 não deve impedir as pessoas de receber uma segunda dose.

As reações alérgicas após a vacina de mRNA COVID-19 foram de 2% com anafilaxia – uma reação alérgica que pode colocar em causa o risco de vida. Esta reação ocorreu até 2,5 por cada 10.000 pessoas. Os investigadores combinaram dados de pacientes que chegaram aos hospitais para cuidados de alergias após uma reação à primeira dose da vacina de mRNA COVID-19.

“Essas reações podem incluir sintomas como coceira, urticária ou rubor. Os pacientes foram todos aconselhados por especialistas em alergia, após a sua reação à primeira dose”, explicou Matthew S. Krantz, coautor principal do estudo.

Entre 189 pacientes, 32, ou 17%, sofreram anafilaxia após a primeira dose da vacina mRNA COVID-19. Um total de 159 pacientes, ou 84%, passou a receber uma segunda dose. Todos os 159 pacientes, incluindo 19 indivíduos que apresentaram anafilaxia após a primeira dose, toleraram a segunda dose. Trinta e dois pacientes, ou 20%, relataram sintomas imediatos e potencialmente alérgicos associados à segunda dose que foram autolimitados, leves e / ou resolvidos apenas com anti-histamínicos.

“Um ponto importante deste estudo é que essas reações de vacina de mRNA de início imediato podem não ser causadas mecanicamente por alergia clássica, chamada de hipersensibilidade imediata ou hipersensibilidade mediada por Ig-E. Para alergia clássica, a reexposição ao alérgeno causa o mesmo ou até mesmo piores”, referiu Kimberly G. Blumenthal, coautora e codiretora do Programa de Epidemiologia Clínica da Divisão de Reumatologia, Alergia e Imunologia do MGH.

As descobertas do estudo sugerem que é seguro para a maioria dos indivíduos receber uma segunda dose da vacina mRNA COVID-19, observa Aleena Banerji, coautora do estudo e diretora clínica da Unidade de Alergia e Imunologia Clínica do MGH, e acrescentou: “Após as primeiras reações à uma dose, os especialistas em alergia podem ser úteis para ajudar a orientar as avaliações de risco / benefício e auxiliar na conclusão de uma vacinação segura”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!