Tatuagens aumentam riscos para a saúde por diminuírem a transpiração

Pele tatuada diminui a transpiração, impedindo o corpo de arrefecer, e pode levar a riscos de lesões relacionadas com o calor. Estudo de investigação mostra que as tatuagens podem ter efeitos colaterais e potenciais complicações para a saúde a longo prazo.

0
Tatuagens aumentam riscos para a saúde por diminuírem a transpiração
Tatuagens aumentam riscos para a saúde por diminuírem a transpiração. Foto: DR

Recente investigação mostrou que a pele tatuada não transpira tanto quanto as áreas do corpo sem tatuagem. A diminuição da transpiração pode ter implicações na capacidade do corpo de arrefecer, nas pessoas com tatuagens extensas. O estudo, que é considerado pioneiro na área, foi já publicado no Journal of Applied Physiology.

A transpiração normal ajuda a regular a temperatura corporal. As glândulas sudoríparas écrinas, encontradas em todo o corpo, produzem suor principalmente à base de água para arrefecer o corpo. Quando as glândulas écrinas são danificadas pode ser prejudica a resposta ao suor, o que, por sua vez, pode aumentar o risco de sobreaquecimento.

Estudos anteriores já tinham descoberto que a pele tatuada tinha uma concentração maior de sódio no suor, o que sugere função reduzida dos dutos de suor écrino. O processo de aplicação de uma tatuagem requer até 3.000 perfurações na pele por minuto, o que pode resultar em danos nas glândulas sudoríparas.

Os investigadores estudaram voluntários com tatuagens na parte superior ou inferior do braço medindo pelo menos 5,6 centímetros quadrados e áreas adjacentes de pele não tatuada. Para promover uma resposta de suor de todo o corpo, os voluntários usaram uma roupa de perfusão tendo circulado água quente acima de 48,89 graus Celcius, durante 30 ou mais minutos.

A equipa de investigadores mediu a temperatura corporal interna dos participantes, a taxa de suor e a temperatura da pele em áreas tatuadas e não tatuadas no mesmo braço. Os investigadores também usaram técnicas de laser para medir o fluxo sanguíneo na pele. No entanto, as medidas de fluxo sanguíneo não eram confiáveis, provavelmente devido às propriedades reflexivas ou absorventes das tintas usadas nas tatuagens dos participantes.

Os investigadores descobriram que as áreas tatuadas e não tatuadas começaram a suar quase ao mesmo tempo em resposta ao calor, o que sugere que os sinais nervosos para as glândulas sudoríparas funcionam normalmente na pele tatuada. No entanto, a redução do suor produzido pode indicar que ocorreu um dano glandular durante a punção repetitiva da pele quando a tatuagem é aplicada. Embora as pequenas tatuagens sejam menos propensas a interferir na regulação geral da temperatura corporal, a diminuição da transpiração na pele tatuada “pode afetar a dissipação de calor, especialmente quando a tatuagem cobre uma percentagem maior da superfície corporal”, escreveram os investigadores.

Os investigadores acrescentaram que “a principal nova descoberta no estudo atual é que a pele periférica, que contém folículos pilosos, do braço que contém tatuagens reduziu as taxas de suor e, portanto, a potencial capacidade de perda de calor, durante o aquecimento do corpo, em comparação com a pele adjacente sem tatuagens”, escreveram os investigadores.

“Esses dados indicam que os efeitos colaterais do processo de tatuagem impactam negativamente a função das glândulas sudoríparas écrinas e podem ser considerados uma complicação potencial de longo prazo ou efeito colateral desse procedimento cosmético”, acrescentaram os investigadores.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!