Terceira etapa do Morocco Desert Challenge não favoreceu Elisabete Jacinto

Elisabete Jacinto terminou a terceira etapa do Morocco Desert Challenge em 22 lugar entre camiões. A prova de 335 quilómetros foi decorrendo bem com a Bio-Ritmo entre os cinco primeiros camiões, mas numa seção de arreia um dos pneus saiu da jante o que levou a muita perda de tempo.

0
Terceira etapa do Morocco Desert Challenge não favoreceu Elisabete Jacinto
Terceira etapa do Morocco Desert Challenge não favoreceu Elisabete Jacinto. Foto: DR

A piloto Elisabete Jacinto concluiu hoje, dia 17 de abril, a terceira etapa do Morocco Desert Challenge, cumprindo uma difícil jornada nas dunas do Erg Chegaga. Um percurso que mostrou-se demolidor para a equipa Bio-Ritmo. Nesta especial, composta por 335 quilómetros cronometrados que se iniciou em Touzounine e terminou no Erg Lihoudi, os portugueses rolaram quase sempre entre os cinco primeiros camiões.

No entanto, no cruzamento de uma grande secção de areia um dos pneus do MAN TGS de competição saiu da jante o que os fez perder imenso tempo a tentar resolver a situação e terminaram a etapa no 22 lugar da classificação destinada aos camiões e assim saltaram, agora, o 16º posto da classificação geral da classe.

No final da etapa a piloto esclareceu: “O dia foi muito difícil. Tentámos andar depressa mas tivemos problemas com os amortecedores e apanhámos muita pancada. No entanto, o nosso grande problema foram as dunas. Um dos nossos bedlocks, o sistema que usamos que permite andar com pressões mais baixas nos pneus para que estes não saiam da jante, falhou e a determinada altura, quando estávamos encostados a uma barreira de areia, o pneu saiu da jante e ficámos presos. Demorámos imenso tempo a resolver a situação e a sair dali.”

Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho conseguiram completar a etapa após várias horas no deserto, dado que esclareceu a piloto: “As dunas são sempre muito traiçoeiras e sem o material certo é difícil fazer melhor. Depois disso tivemos apenas umas pequenas dificuldades num sítio em que é sempre muito complicado navegar mas conseguimos andar bem e com um bom ritmo. Contudo, perdemos demasiado tempo nas dunas o que nos deixa frustrados porque estávamos a fazer uma boa etapa.”

A quarta etapa do Morocco Desert Challenge vai ser muito variada. Para cumprir vão estar 310 quilómetros ao cronómetro entre as “Dunas dos Judeus” e Fezzou num dia em que os concorrentes terão, uma vez mais, que enfrentar as dunas do Erg Chegaga. O arenoso oued de Mhamid, a subida de um íngreme trilho de um vulcão e pistas rápidas e largas também farão parte desta quarta especial.

Terceira etapa do Morocco Desert Challenge não favoreceu Elisabete Jacinto
Terceira etapa do Morocco Desert Challenge não favoreceu Elisabete Jacinto
Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!