União Europeia: Combate à pobreza é prioritário para os portugueses

Portugueses consideram que o combate à pobreza deve ser a principal prioridade do Parlamento Europeu, revela novo inquérito Eurobarómetro. Os europeus consideram os direitos humanos o valor mais importante.

0
União Europeia: Combate à pobreza é prioritário para os portugueses
União Europeia: Combate à pobreza é prioritário para os portugueses. Foto: © Rosa Pinto

Um inquérito de opinião europeu sobre quais os assuntos políticos que devem ser tratados como prioritários e quais os valores europeus que mais importa preservar, mostrou que:

48% dos europeus indicou os direitos humanos;
44% dos portugueses também indicou os direitos humanos;
42% dos portugueses indicou a igualdade de género;
e a solidariedade entre os Estados-Membros foi indicada por 30% dos europeus.

Sobre as prioridades a que o Parlamento Europeu se deve dedicar, o Eurobarómetro indica que:

44% dos portugueses escolheram o combate à exclusão social e à pobreza;
44% a melhoria dos direitos do consumidor, bem como a qualidade e o acesso a serviços de saúde para todos os cidadãos;
37% o combate ao desemprego jovem;
30% o estabelecimento de condições adequadas para o crescimento económico e o investimento;
26% o combate às alterações climáticas. Uma prioridade que os europeus colocaram em primeira prioridade com 32%.

Mas entre os temas ambientais, as alterações climáticas são consideradas o assunto mais importante para 52% dos portugueses, seguidas pela escassez de água potável com 41%. Dados do Eurobarómetro indicam que 66% dos inquiridos consideram que os protestos liderados pelos jovens contribuíram para a tomada de mais medidas políticas.

Opinião sobre a União Europeia

Os resultados do novo Eurobarómetro revelam também que o apoio dos cidadãos à União Europeia (UE) permanece num nível elevado pelo terceiro ano consecutivo, com 59% dos europeus a favor da adesão. Portugal é o sexto país com o valor mais elevado, com 72% dos portugueses a considerarem que fazer parte da UE é positivo.

Sobre a intervenção do Parlamento Europeu verifica-se que 72% dos inquiridos portugueses pedem que exerce um papel mais forte. Uma percentagem superior à média europeia que é de 58%.

No que toca ao funcionamento da democracia na UE, 52% dos europeus dizem estar satisfeitos e salientam a contribuição positiva das recentes eleições europeias. Em Portugal este indicador situa-se nos 63%.

Europeus querem mais informação sobre a UE

O inquérito revela ainda que 77% dos europeus gostariam de receber mais informações sobre as atividades das instituições europeias. As consequências concretas da legislação da UE a nível local, regional e nacional, bem como as atividades do Parlamento Europeu e dos Estados-Membros, estão entre as áreas mais relevantes para os cidadãos. Também 38% dos portugueses gostariam de ver, ouvir ou ler mais notícias sobre os eurodeputados que os representam.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!