Eficiência das mascaras faciais de tecido na filtragem de coronavírus

Como se deve construir uma mascara de tecido e que tecidos usar? Cientistas avaliaram diversas opções e concluíram que as mascaras mais eficientes incluem tecido de algodão com alta contagem de linhas e camadas eletrostáticas, como seda ou poliéster.

0
Eficiência das mascaras faciais de tecido na filtragem de coronavírus
Eficiência das mascaras faciais de tecido na filtragem de coronavírus. O esquema mostra a filtração de partículas de aerossol usando uma combinação de filtração mecânica e eletrostática a partir de uma combinação de tecidos. Imagem: cortesia da American Chemical Society

Cientistas examinaram a eficiência da filtragem de tecidos que são normalmente usados nas ​​ máscaras faciais para proteção contra o novo coronavírus. Os cientistas concentraram-se em partículas de aerossol numa variedade de tamanhos que são considerados relevantes para a transmissão viral através de exposições respiratórias.

Os cientistas concluíram que as máscaras de pano de melhor desempenho são as que usam desenhos híbridos que incluem algodão com alta contagem de linhas e camadas eletrostáticas, como seda ou poliéster.

O impacto na filtragem

Este é o primeiro estudo científico sistemático sobre a eficientemente dos tecidos das máscaras na filtragem das partículas de aerossol. O estudo verificou que combinações de tecidos normalmente disponíveis, juntamente com o ajuste adequado, devem fornecer proteção significativa contra a transmissão de partículas de aerossol.

Tecidos e design

Devido à pandemia da COVID-19, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos EUA, recomendam o uso de máscaras em público. As máscaras N-95, que são escassas, são mais reservadas para os profissionais de saúde. Como resultado, muitas pessoas têm usado máscaras de pano. No entanto, existem muito poucos dados científicos sobre a eficácia das máscaras de pano na filtragem de partículas de aerossol.

Estes aerossóis são causados ​​por gotículas respiratórias que surgem de atividades normais como respiração, fala e tosse. Eles são um transmissor chave de infeções virais, como a COVID-19.

Um novo estudo realizado por investigadores do Argonne National Laboratory e da Universidade de Chicago, EUA, analisou mais de 15 tecidos domésticos comuns para investigar sua eficiência de filtração contra gotículas minúsculas (na faixa de tamanho de 10 nm a 6 mm).

A equipe testou um respirador N-95 e máscaras cirúrgicas para comparação. Eles também compararam a eficácia de várias camadas de um único tecido e uma mistura de vários tecidos. Entre os tecidos domésticos comuns, eles descobriram que os tecidos mais eficazes eram algodão de alta contagem de fios, seda natural e um tecido de chiffon à base de poliéster-spandex. Combinações híbridas, como algodão de alta contagem de fios, juntamente com seda, chiffon ou flanela, também forneciam ampla cobertura de filtragem.

O estudo constatou que tecidos com uma trama justa e baixa porosidade, como os encontrados em lençóis de algodão com alta contagem de linhas, tiveram um bom desempenho. Por exemplo, um algodão comercial com 600 fios (densidade linear da urdidura e trama do tecido) teve um desempenho melhor do que um algodão com 80 fios.

Separadamente, seda natural, chiffon de poliéster e outros materiais com propriedades eletrostáticas fornecem uma barreira eletrostática contra gotículas. O estudo constatou que o tecido com alta contagem de linhas combinado com um tecido eletrostático com alta filtração de aerossóis é mais eficaz.

O estudo também revelou que lacunas numa máscara, como as de ajuste inadequado, podem reduzir a eficiência da filtragem em 60%. Essa descoberta indica a necessidade de estudos futuros de design de máscara de pano para levar em consideração questões de ajuste.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!