Projeto europeu de energia liderado pelo Politécnico de Setúbal

O projeto europeu Thermal Energy Storage Systems for Energy Efficient Buildings (TESSe2b), financiado pelo Programa Horizonte 2020, da Comissão Europeia, no valor de 4,3 milhões de euros durante quatro anos, vai ser liderado pelo Instituto Politécnico de Setúbal (IPS).

0
Prof. Doutor Pedro Dominguinhos e Prof. Doutor Luís Coelho

O projeto envolve uma parceria entre o IPS e mais dez entidades (universidades, empresas e associações) de oito países europeus, sendo a equipa de investigação coordenada em Portugal pelo Prof. Doutor Luís Coelho, indica o IPS em comunicado.

O objetivo do projeto TESSe2b é o desenvolvimento de um equipamento para climatizar as habitações e aquecer as águas sanitárias. Este sistema é baseado no armazenamento térmico de energia e com recurso às energias renováveis (solar e geotérmica), permitindo “aumentar a eficiência energética entre 25 a 30%, o que significa que para o proprietário a sua fatura energética vai ser reduzida nesta mesma grandeza”, referiu o Prof. Doutor Luís Coelho, citado pelo IPS.

Ao serem criadas as condições para aumentar a utilização da energia solar e geotérmica, através de equipamentos adequados, pode ser dado um contributo importante para se alcançarem as metas definidas para a redução do consumo de energia, tanto em Portugal como nos outros países europeus, bem como “contribuir para a sustentabilidade do ambiente e para a economia nacional”.

O projeto possui como meta tornar disponível um equipamento que em 2020 deverá já estar no mercado. Esta meta é um grande desafio para os investigadores, dado que “atualmente não existem soluções que consigam armazenar e conservar o calor ou frio com o máximo de eficiência”.

Os investigadores vão recorrer “a nanotecnologia e diferentes tipos de tecnologias para conseguir tornar o armazenamento praticável e mais eficiente”, indicou o coordenador do projeto. “Para testar o seu real funcionamento e adaptação a climas diferentes, vão ser implementados três protótipos do TESSe2b no Chipre, em Espanha e na Áustria”.

O IPS já participa em projetos europeus há alguns anos, mas dadas as exigências do atual programa Horizonte 2020 o Prof. Doutor Pedro Dominguinhos, Presidente do IPS, afirma ter “ fortes expetativas neste projeto, pois a área da eficiência energética é uma aposta do IPS que tem tido bons resultados”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!