Alerta: COVID-19 pode infetar os testículos e ter implicações na fertilidade

Investigação mostra que homens infetados com o novo coronavírus podem apresentar COVID-19 nos testículos. Dor nos testículos em conjunto com outros sintomas próprios da COVID-19 pode ser um sinal de que a doença atingiu os testículos.

0
Alerta: COVID-19 pode infetar os testículos e ter implicações na fertilidade
Alerta: COVID-19 pode infetar os testículos e ter implicações na fertilidade. Na imagem o investigador Ranjith Ramasamy. Foto: © University of Miami Health System

Homens infetados com o novo coronavírus podem ver a COVID-19 invadir o tecido dos testículos, concluiu estudo realizado por investigadores da University of Miami Miller School of Medicine, e já publicado no The World Journal of Men’s Health.

Estas descobertas podem ser o primeiro passo para descobrir o impacto potencial da COVID-19 na fertilidade masculina e se o vírus pode ser transmitido sexualmente, referiu o autor do estudo, Ranjith Ramasamy, professor associado e diretor de urologia reprodutiva da Miller School.

Os investigadores da Miller School, envolvidos no estudo, analisaram tecido testicular de autópsias de seis homens que morreram de infeção pela COVID-19. Eles encontraram função prejudicada dos espermatozoides em três das amostras de testículo e evidência de COVID-19 usando microscopia eletrónica no tecido de um paciente.

Ranjith Ramasamy esclareceu: “Também identificamos a presença do vírus num homem que foi submetido a uma biópsia de testículo por infertilidade, e que tinha história anterior de COVID-19. Portanto, o paciente deu resultado negativo e ficou assintomático após estar com COVID-19, mas ainda mostrou a presença do vírus dentro dos testículos ”.

Alerta: COVID-19 pode infetar os testículos e ter implicações na fertilidade
Partículas virais COVID no testículo encontradas por meio de microscopia eletrónica. À esquerda (A) está o tecido retirado de um paciente vivo, previamente positivo para COVID. À direita (B) está o tecido recolhido por meio de autópsia de uma pessoa que faleceu com infeção aguda de COVID. Imagem: © University of Miami Health System/ Ranjith Ramasamy e Justin Achua

O investigador acrescentou: “Esta é a primeira investigação publicada a relatar o caso de um paciente vivo que demonstra a presença de COVID-19 em tecido testicular de um paciente que recuperou do vírus. A descoberta é nova, notável e certamente digna de mais investigação.”

Faz sentido que os testículos, que são responsáveis ​​pela produção de esperma e testosterona, sejam um alvo para a infeção pela COVID-19. O vírus tem afinidade para os recetores da enzima conversora de angiotensina-2 (ACE-2), que estão em muitos órgãos do corpo, incluindo pulmões, coração, intestinos, rins e testículos.

Embora este estudo sugira que o vírus pode estar presente no tecido do testículo, permanecem questões sobre a quantidade do vírus necessita de estar presente nos testículos para ser detetado no sémen, bem como qual o limite de carga viral que é necessário no sémen para ser sexualmente transmitido.

Vários outros vírus são conhecidos por afetar a espermatogénese e a fertilidade, incluindo a parotidite epidémica (papeira). Pode ser que o COVID-19 funcione de maneira semelhante, causando um processo inflamatório, referiu Justin K. Achua, da Miller School, primeiro autor do estudo.

“Foi demonstrado que a papeira entra nos testículos, causando inflamação dos mesmos e levando a que a produção de espermatozoides seja prejudicada em cerca de 10 a 20%”, referiu Justin K. Achua. “Ao avaliar os resultados da autópsia, vimos que o testículo com COVID-19 apresentava sinais de inflamação com células brancas do sangue a invadir os testículos”.

Para Ranjith Ramasamy são necessários mais estudos para avaliar exatamente como o tecido testicular responde ao vírus e o que isso pode significar para a fertilidade masculina e a transmissão sexual. Este estudo é a primeira etapa desse processo e abre a porta para que pesquisas importantes sejam realizadas.

“A Universidade de Miami é um importante centro médico académico no sul da Flórida, no coração da epidemia de COVID-19 no Estado”, referiu o investigador. “A Flórida permanece entre os três principais Estados dos EUA com o número de infeções pela COVID-19.”

Por enquanto, a descoberta sugere que homens de todas as idades com COVID-19 e com dor testicular devem marcar uma consulta com um urologista, referiu o investigador Ranjith Ramasamy.

“Dor testicular junto com outros sintomas pode ser um sinal de que a COVID-19 entrou nos testículos, e se os homens estão a pensar em fertilidade e / ou baixa testosterona no presente ou no futuro, eles devem ter seus níveis de testosterona avaliados com um teste de sangue e parâmetros de esperma avaliados com uma análise de sémen ”, aconselhou o investigador.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!