Bolsas de curta duração da Fundação Oriente

Fundação Oriente tem abertas candidaturas para bolsas de curta duração, até 30 de Junho. As bolsas destinam-se a portugueses e nacionais de países do Extremo Oriente.

0
Bolsas de curta duração da Fundação Oriente
Bolsas de curta duração da Fundação Oriente. Foto: © Rosa Pinto

A Fundação Oriente aceita candidaturas para o seu programa de Bolsas de Curta Duração. O programa tem como objetivo apoiar a frequência de cursos e realização de estágios e visitas de estudo em Portugal, por parte de nacionais de países do Extremo Oriente e, de cidadãos portugueses com os mesmos objetivos em países asiáticos. O prazo de candidatura termina a 30 de Junho.

As Bolsas de Curta Duração têm a duração mínima de 30 dias e máxima de 90 dias, e privilegiam projetos nas áreas das Artes Plásticas, História, História da Arte, Design, Fotografia, Arquitetura, Museologia, Conservação e Restauro e Antropologia, sendo dada prioridade a candidaturas cujos resultados concretos possam vir a dar origem à realização de atividades no Museu do Oriente. O valor da bolsa é fixado pela Fundação Oriente em função da sua duração e do país em que decorre o projeto, e inclui todas as despesas de viagem.

A bolseira Catarina França e Sousa, formada em Design de Comunicação, com Mestrado em Desenho e especialização em Ilustração Científica, referiu: “A bolsa de curta duração, atribuída em 2013 pela Fundação Oriente, permitiu-me viajar até Macau para descobrir e desenhar as plantas, árvores e arbustos mais notáveis de Macau e das ilhas. Este trabalho de um mês e meio deu origem ao livro ‘Árvores e Grandes Arbustos de Macau’, um projeto que surgiu da necessidade de catalogar e registar a flora local, utilizando a ilustração como complemento e alternativa à fotografia.”

“Foi uma experiência muito gratificante que possibilitou estudar e ilustrar as plantas no local, com os exemplares vivos e no seu habitat natural. Todo o apoio concedido pela Fundação Oriente, tanto em Portugal como em Macau – ficando alojada nas suas instalações, na Casa Garden –, permitiu o estudo, trabalho e investigação de que resultaram as ilustrações científicas. As ilustrações foram concluídas em Lisboa e reunidas em exposição no Museu do Oriente, podendo ser vistas gratuitamente até dia 25 de Agosto”, esclareceu Catarina França e Sousa.

O programa de Bolsas de Estudo é um dos elementos fundamentais da atuação da Fundação Oriente, no campo da educação. O programa divide-se em três tipologias: de curta duração, para frequência de cursos de aperfeiçoamento de língua e cultura portuguesas e de língua e culturas orientais, ou para Investigação e Doutoramento. Com as bolsas a Fundação pretende incentivar a investigação nas áreas das Ciências Sociais e Humanas, em temas relacionados com o Extremo Oriente, o intercâmbio científico entre universidades e comunidades científicas portuguesas e orientais, e o conhecimento e o aperfeiçoamento da língua e da cultura portuguesa e da língua e culturas orientais.

Nos 30 anos de existência, a Fundação Oriente já concedeu cerca de 1.000 bolsas de estudo a candidatos de 22 nacionalidades, com os portugueses a encabeçarem o maior número de bolseiros, seguido de chineses, indianos e coreanos. As Bolsas de Língua e Cultura Portuguesa – atribuídas apenas a candidatos de países do Oriente – e as Bolsas de Investigação foram as tipologias mais atribuídas, tendo também sido já concedidos apoios para o estudo do Mandarim, Sânscrito, Hindi, Coreano, Japonês e Tibetano, por entre 26 áreas de estudo apoiadas.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!