Conselho Europeu levanta restrições de viagem a mais 11 países terceiros

Aumenta a lista de países sem restrições de viagem para a União Europeia. O Conselho Europeu aprovou que a partir de 8 de agosto os Estados-membros podem levantar as restrições a mais 11 países e receber viajantes oriundos desses países.

0
Conselho Europeu levanta restrições de viagem a mais 11 países terceiros
Conselho Europeu levanta restrições de viagem a mais 11 países terceiros. Foto: © Rosa Pinto

O Conselho Europeu levanta restrições às viagens para 11 países e indicou que a lista de países com restrições de viagens não essenciais para a União Europeia vai continuar a ser revista. Assim, os Estados-membros deverão, a partir de 8 de agosto, começar a suspender as restrições de viagem nas fronteiras externas para residentes dos seguintes países terceiros:

Austrália; Canadá; Geórgia; Japão; Nova Zelândia; Ruanda; Coreia do Sul; Tailândia; Tunísia; Uruguai e China, este último sujeito a confirmação de reciprocidade.

Os residentes de Andorra, Mónaco, São Marinho e Vaticano devem ser considerados residentes da UE para os fins desta recomendação.

Os critérios para determinar os países terceiros para os quais a atual restrição de viagens deve ser levantada abrangem, em particular, a situação epidemiológica e as medidas de contenção, incluindo o distanciamento físico, bem como considerações económicas e sociais. Critérios que são aplicados cumulativamente, esclareceu o Conselho Europeu.

No que diz respeito à situação epidemiológica, os países terceiros agora libertos de restrições cumprem os seguintes critérios, em particular:

  • número de novos casos de COVID-19 nos últimos 14 dias e por 100.000 habitantes perto ou abaixo da média da UE (como era 15 de junho de 2020)
  • tendência estável ou decrescente de novos casos neste período em comparação com os 14 dias anteriores
  • resposta geral à COVID-19, levando em consideração as informações disponíveis, incluindo sobre aspetos como testes, vigilância, rastreamento de contato, contenção, tratamento e notificação, bem como a confiabilidade das informações e, se necessário, a pontuação média total para Internacional Regulamentos Sanitários (RSI). As informações fornecidas pelas delegações da UE sobre estes aspetos também são tidas em consideração.

A reciprocidade também deve ser levada em consideração regularmente e caso a caso.

Para países onde as restrições de viagem continuam a ser aplicadas, as seguintes categorias de pessoas devem ser isentas das restrições:

  • Cidadãos da UE e seus familiares;
  • residentes de longa duração na UE e seus familiares;
  • viajantes com uma função ou necessidade essencial.

Os países associados a Schengen (Islândia, Lichtenstein, Noruega, Suíça) também fazem parte desta recomendação.

A recomendação do Conselho não é um instrumento juridicamente vinculativo. As autoridades dos Estados membros continuam responsáveis ​​pela implementação do conteúdo da recomendação. Eles podem, com total transparência, suspender apenas progressivamente as restrições de viagem para os países agora indicados.

Um Estado-Membro não deve decidir levantar as restrições de viagem para países terceiros não incluídos na lista antes de tal ter sido decidido de forma coordenada.

Esta lista de países terceiros deve continuar a ser revista regularmente e pode ser atualizada pelo Conselho, conforme o caso, após consultas estreitas com a Comissão e as agências e serviços da UE, após uma avaliação geral com base nos critérios acima.

As restrições de viagem podem ser total ou parcialmente levantadas ou reintroduzidas para um determinado país terceiro de acordo com as alterações em algumas das condições e, como consequência, na avaliação da situação epidemiológica. Se a situação em um país terceiro listado piorar rapidamente, deve ser aplicada uma tomada de decisão rápida.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!