COVID-19: Comissão Europeia liberta mais 122 M€ para investigação e inovação

Comissão Europeia mobiliza um montante suplementar de 122 milhões de euros para projetos de investigação e inovação, que incluam produtos médicos e outros meios essenciais e urgentes no âmbito da pandemia de COVID-19.

0
COVID-19: Comissão Europeia liberta mais 122 M€ para investigação e inovação
COVID-19: Comissão Europeia liberta mais 122 M€ para investigação e inovação. Foto: © Rosa Pinto

A Comissão Europeia mobiliza mais 122 milhões de euros do programa de investigação e inovação, Horizonte 2020, para a investigação sobre o coronavírus. Este financiamento vai permitir complementar uma série de ações de investigação e inovação também financiadas pela UE para combater o coronavírus e destinadas a desenvolver testes de diagnóstico, tratamentos e vacinas.

O objetivo da Comissão Europeia é reforçar a capacidade para produzir e implantar soluções facilmente disponíveis, com vista a satisfazer rapidamente as necessidades mais prementes, mas também para perceber melhor qual o impacto comportamental e socioeconómico da epidemia.

A comissária da Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, Mariya Gabriel, referiu: “Estamos a mobilizar todos os meios à nossa disposição para combater esta pandemia com testes, tratamentos e prevenção. Mas, para sermos bem-sucedidos no combate ao coronavírus, temos também de perceber o modo como este afeta a sociedade e a melhor forma de mobilizar estas intervenções rapidamente”

Para isso a Mariya Gabriel acrescentou: “Há que explorar soluções tecnológicas para fabricar equipamento e material médico mais rapidamente, para monitorizar e prevenir a propagação da doença e para melhorar os cuidados prestados aos doentes.”

Thierry Breton, o comissário do Mercado Interno, referiu: “Estamos a apoiar as autoridades de saúde, os profissionais da saúde e o público em geral de todos os Estados-Membros na resposta à crise do coronavírus. Para tal, recorremos a tecnologias e ferramentas inovadoras que podem ser rapidamente utilizadas para prevenir e assegurar os melhores tratamentos e a recuperação da pandemia e para nos prepararmos para as suas consequências, nomeadamente soluções e tecnologias digitais como a telemedicina, os dados, a Inteligência Artificial, a robótica e a fotónica.”

Os projetos a financiar devem visar a reorientação da produção para o fabrico rápido de material e equipamento médico essencial, necessário para realizar testes e para tratar e prevenir a doença, bem como o desenvolvimento de tecnologias médicas e ferramentas digitais para melhorar a deteção, a vigilância e a prestação de cuidados aos doentes.

Os novos projetos de investigação podem beneficiar de grandes grupos de doentes em toda a Europa. Um maior conhecimento do impacto comportamental e socioeconómico da epidemia causada pelo coronavírus pode ajudar a melhorar as estratégias de tratamento e prevenção. Os interessados com projetos devem apresentar propostas para financiamento até 11 de junho de 2020.

A Europa e o mundo em geral necessitam urgentemente de soluções inovadoras para conter e atenuar o surto e prestar melhores cuidados aos doentes, sobreviventes, grupos mais vulneráveis, pessoal de primeira linha de saúde e respetivas comunidades, e por isso a Comissão pretende que os trabalhos de investigação comecem o mais rapidamente possível, prevendo prazos mais curtos do que é habitual para serem apresentadas candidaturas e também para a respetiva avaliação.

A Comissão lembrou também que em conformidade com os princípios que regem a Resposta Mundial ao Coronavírus, as novas soluções devem estar disponíveis e ser acessíveis a todos.

Este investimento enquadra-se no compromisso assumido pela Comissão no valor de 1,4 mil milhões de euros em favor da iniciativa Resposta Mundial ao Coronavírus, lançada pelo Presidente Ursula von der Leyen, em 4 de maio de 2020.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!