Leça da Palmeira: “Teorema do Silêncio” trata abuso sexual de menores

“Salvé a Língua de Camões” tem início com o “Teorema do Silêncio”, na Casa do Bosque do Museu da Quinta de Santiago, em Leça da Palmeira, pelas 21h30, do dia 28 de março. A peça trata o tema universal do abuso sexual de menores.

0
Leça da Palmeira: “Teorema do Silêncio” trata abuso sexual de menores
Leça da Palmeira: “Teorema do Silêncio” trata abuso sexual de menores. Foto: DR

Teorema do Silêncio”, a peça do cabo-verdiano Caplan Alves, dá início programa “Salvé a Língua de Camões” de 2019. A peça chega a Portugal para uma leitura encenada a cargo dos atores Duarte Moreno e Margarida Magalhães, que darão voz à tensão que a eminência da morte empresta até aos assuntos indizíveis.

“Teorema do Silêncio” que caminha na corda-bamba entre a ética e a justiça, entre o perdão e o castigo, foi estreada em 2012 e objeto de uma reposição em 2017. A peça que foi encenada pelo prestigiado grupo de teatro do Centro Cultural Português do Mindelo, de Cabo Verde, e com passagem por festivais no Brasil, conquistou vários prémios de dramaturgia.

“Um homem agoniza no chão e pede a uma mulher que chame uma ambulância. Ela hesita, lembrando-se que aquele que lhe chama “cabrita idiota” é o professor de Matemática que outrora a agrediu sexualmente”. É como “um murro no estômago” ao tratar o tema universal do abuso sexual de menores, problematizando-o com recurso a uma situação limite, em torno do fantasma de um perdão que jamais foi negado, porque jamais foi (ou poderia ser) pedido.

A peça sobe ao palco na Casa do Bosque do Museu da Quinta de Santiago, em Leça da Palmeira, pelas 21h30, no dia 28 de março, e assinala mais um ano de eventos de promoção e divulgação das dramaturgias dos países de língua portuguesa.

O projeto da Companhia de Teatro Reator e da Câmara Municipal de Matosinhos, “Salvé a Língua de Camões” decorre ininterruptamente há 15 anos e já deu a conhecer dezenas de autores e de peças de teatro escritas em português com os mais variados sotaques.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!