Marta Tavares da Silva e Manuel de Oliveira Santos distinguidos com Prémio Jovens Cardiologistas de Intervenção

Técnica percutânea no tratamento de pseudoaneurisma gigante da aorta, por Marta Tavares da Silva, e trabalho sobre intervenção coronária percutânea guiada por simulação com impressão 3D, de Manuel de Oliveira Santos, vencem Prémio Jovens Cardiologistas de Intervenção.

0
Marta Tavares da Silva e Manuel de Oliveira Santos distinguidos com Prémio Jovens Cardiologistas de Intervenção
Vencedores do Prémio Jovens Cardiologistas de Intervenção, da APIC, Marta Tavares da Silva (à esquerda), Manuel de Oliveira Santos (à direita) e Manuel Almeida, membro do júri do prémio (ao centro). Foto: DR

A Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) atribuiu o Prémio Jovens Cardiologistas de Intervenção 2018 a Marta Tavares da Silva, médica no Centro Hospitalar e Universitário de São João, e a Manuel de Oliveira Santos, médico no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, pela qualidade dos trabalhos que apresentaram no âmbito da cardiologia.

Marta Tavares da Silva apresentou um caso clínico onde foi utilizada uma técnica percutânea no tratamento de um pseudoaneurisma gigante da aorta. Um caso clínico que permitiu concluir que “esta complicação rara, mas potencialmente fatal da cirurgia torácica, tem potencial de ser tratada recorrendo a dispositivos de encerramento não dedicados, de forma segura e eficaz”, esclareceu a médica, e concluiu que se trata “de uma mais-valia no tratamento de doentes que de outra forma não teriam tratamento.”

Manuel de Oliveira Santos, por sua vez, apresentou um trabalho sobre a intervenção coronária percutânea guiada por simulação específica com impressão 3D. O médico referiu: “Testámos uma abordagem inovadora em que o processo de tratamento do doente, por cateterismo cardíaco, foi totalmente simulado previamente com recurso a um modelo específico do doente impresso em 3D”.

O médico considera que no futuro “a tecnologia de simulação específica de doente com impressão 3D seja utilizada para melhorar os resultados dos tratamentos percutâneos de patologia cardíaca.”

O Prémio Jovens Cardiologistas de Intervenção é anualmente atribuído pela APIC, na reunião anual, e tem como objetivo distinguir os jovens médicos tendo em conta a qualidade dos trabalhos médicos apresentados. Este ano foram 87 os trabalhos de internos e de jovens cardiologistas, de todas as regiões do país, que concorreram ao Prémio da APIC.

A APIC é uma entidade sem fins lucrativos, que tem por finalidade o estudo, investigação e promoção de atividades científicas no âmbito dos aspetos médicos, cirúrgicos, tecnológicos e organizacionais da Intervenção Cardiovascular. Este ano a APIC realizou a sua reunião anual nos dias 11 a 13 de outubro, no Centro de Congressos de Troia.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!