Medalhas de Mérito Científico atribuídas no encontro Ciência 2019 a investigadores e autarcas

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior distinguiu com Medalha de Mérito Científico nove investigadores e dois autarcas. As distinções foram entregues pelo Primeiro-Ministro durante o encontro Ciência 2019.

0
Medalhas de Mérito Científico atribuídas no encontro Ciência 2019 a investigadores e autarcas
Medalhas de Mérito Científico atribuídas no encontro Ciência 2019 a investigadores e autarcas, Foto: TVEuropa

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior atribuiu, hoje, durante o encontro Ciência 2019, Medalhas de Mérito Cientifico a 11 personalidades, dos quais 9 investigadores e dois autarcas.

A distinção tem por base reconhecer as elevadas qualidades profissionais e o excecional contributo para o desenvolvimento da ciência ou da cultura científica em Portugal. As Medalhas de Mérito Cientifico foram entregues pelo Primeiro-Ministro aos seguintes distinguidos:

Maria João Saraiva
Maria João Saraiva. Foto: TVEuropa

Maria João Saraiva distinguiu-se pelos seus estudos de mais de 30 anos sobre paramiloidose. Doutorada e Professora com agregação em Ciências Biomédicas pela Universidade do Porto, e Professora Catedrática de Bioquímica do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.

De entre as várias atividades, coordenou o Grupo de Neurobiologia Molecular do Instituto de Biologia Molecular e Celular que se dedica à Bioquímica e Genética Molecular da doença paramiloidose. A investigadora recebeu o Prémio Gulbenkian Ciência 2009 pelo trabalho desenvolvido no estudo dos mecanismos bioquímicos e genéticos da paramiloidose.

António Firmino da Costa
António Firmino da Costa. Foto: TVEuropa

António Firmino da Costa tem contribuições inéditas no estudo das desigualdades sociais, ciência e sociedade, literacia e educação, culturas urbanas e identidades culturais e metodologia de investigação em ciências sociais, e contribui de forma decisiva para a compreensão da cultura científica em Portugal, incluindo o desenvolvimento e planeamento da Ciência Viva.

Doutorado em Sociologia e Professor Catedrático do Departamento de Sociologia do ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa (IUL), António Firmino da Costa distinguiu-se ainda pela promoção das ciências sociais em Portugal, tendo formado várias gerações de sociólogos.

Entre as várias atividades ao longo do percurso de vida foi fundador do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do IUL e Diretor da revista científica Sociologia, Problemas e Práticas. Fundador da Associação Portuguesa de Sociologia, tendo também sido membro do Conselho Científico da rede europeia inequality Watch e Coordenador da Cátedra Ibérica de Ciência, Tecnologia e Sociedade da OEI.

Helena Santos
Helena Santos. Foto: TVEuropa

Helena Santos foi pioneira em Portugal no desenvolvimento de técnicas de Ressonância Magnética Nuclear (RMN) in vivo para estudar o metabolismo de bactérias de ácido láctico e células de cérebro, no Instituto de Tecnologia Química e Biológica (ITQB).

Doutorada em Biologia pela Universidade Nova de Lisboa (UNL), é Professora Catedrática de Bioquímica e Biofísica da UNL no ITQB. Tendo dirigido o Laboratório de Fisiologia Celular e RMN, e coordenou vários projetos europeus na área da investigação bioquímica.

Venceu vários galardões, incluindo o Prémio Gulbenkian de Ciência e o Prémio de Carreira Internacional da Sociedade Internacional de Extremófilos, da qual foi Presidente.

Luís Moniz Pereira
Luís Moniz Pereira. Foto: TVEuropa

Luís Moniz Pereira com contribuído de forma invulgar para a difusão da cultura científica em Portugal sobre Ciências da Computação e em Inteligência Artificial (IA).

Pioneiro no ensino e investigação em Ciências da Computação e em Inteligência Artificial em Portugal foi Diretor do Centro de Inteligência Artificial na Universidade Nova de Lisboa.

Especializou-se em programação lógica e na representação do conhecimento, raciocínio e ciências cognitivas, em geral, tendo fundado a Associação Portuguesa de Inteligência Artificial e esteve na origem de várias publicações dedicadas à área da IA. Luís Moniz Pereira é Doutor Honoris Causa pela Universidade Técnica de Dresden, na Alemanha.

Cecília Leão
Cecília Leão. Foto: TVEuropa

Cecília Leão distinguiu-se pelo ensino e investigação nas áreas da Microbiologia e Ciências da Saúde, tendo formado várias gerações de cientistas e médicos em Portugal.

Doutorada em Biologia/Microbiologia pela Universidade do Minho é Professora Catedrática e foi Presidente da Escola de Medicina da Universidade do Minho, e é também membro da Academia de Ciências de Lisboa.

Manuel Nunes da Ponte
Manuel Nunes da Ponte. Foto: TVEuropa

Manuel Nunes da Ponte distinguiu-se pelas suas contribuições em Engenharia Química e Biológica, tendo formado várias gerações de engenheiros químicos em Portugal.

Doutorado pelo Instituto Superior Técnico, foi Diretor do Instituto de Tecnologia Química e Biológica e investigador responsável pelo projeto Tecnologias e Processos Limpos em Engenharia Química e Biológica. Manuel Nunes da Ponte presidiu à iniciativa Eureka e teve um contributo relevante na promoção da inovação em biotecnologia e em processos industriais em Portugal no contexto Europeu. Foi um dos reconhecidos, em 1996, com o Prémio Ferreira da Silva.

Deolinda Lima
Deolinda Lima. Foto: TVEuropa

Deolinda Lima, Professora Catedrática da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), foi Vice-presidente do Conselho Cientifico da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

Entre os cargos assumidos foi o de Diretora do Laboratório de Apoio à Investigação em Medicina Molecular da FMUP e presidente da Sociedade Portuguesa de Neurociência, e Coordenou o IBMC Research Group on Morphophysiology os Somatosensory System. A Professora recebeu várias distinções pelos trabalhos de investigação na área da Dor.

Luís Ferro Pereira
Luís Ferro Pereira. Foto: TVEuropa

Luís Ferro Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Vila Velha de Rodão, promoveu e apoiou de forma inédita e internacionalmente muito reconhecida o desenvolvimento do Novo Atlas Europeu do Vento na Serra do Perdigão.

Durante 2017-2018, Luís Ferro Pereira, apoiou ensaios inéditos realizados por equipas internacionais de investigadores de referência mundial na Serra do Perdigão, tendo facilitado o maior projeto de mapeamento do vento jamais realizado, que envolve várias organizações e instituições científicas a nível internacional, como recentemente publicado no Jornal da Amarican Meteorological Society (The Perdigão: Peering into Microscale Details of Mountain Winds”, JAMS, June 2019).

Paulo Fernandes
Paulo Fernandes. Foto: TVEuropa

Paulo Fernandes, Presidente da Câmara Municipal do Fundão, tem-se distinguido pela capacidade de inovação e promoção da cultura científica no desenvolvimento do interior, incluindo a criação de emprego qualificado e a valorização do interior, incluindo a criação de emprego qualificado e a valorização de processos de transformação digital em regiões de baixa densidade populacional.

Fundador da Rede de Aldeias de Xisto e da Rede de Aldeias Históricas de Portugal, entre outras iniciativas relacionadas com o Desenvolvimento de competências digitais através da criação do Centro de Negócios do Fundão. Entre outras iniciativas criou uma incubadora e Aceleradora de empresas de base tecnológica, um FabLab, um Centro de Formação Avançada e um Centro de validação e Certificação de software.

Raquel Gaspar
Raquel Gaspar. Foto: TVEuropa

Raquel Gaspar tem-se distinguido pelo trabalho particularmente inédito e reconhecido internacionalmente na promoção da cultura científica envolvendo as mulheres das comunidades piscatórias.

Bióloga marinha, Raquel Gaspar é Doutorada pela Universidade de St. Andrews na Escócia. Trabalha e tem vindo a investigar há mais de 20 anos os golfinhos no Estuário do Sado.

Fundadora da Ocean Alive tem-se distinguido na proteção dos oceanos e, sobretudo, na proteção das pradarias marinhas através de campanhas de sensibilização envolvendo as mulheres das comunidades piscatórias.

Recebeu uma bolsa da National Geographic para o projeto “Guardiãs do Mar: Pescadoras Lideres para a Conservação do Oceano” que tem permitido a recolha de dados para o mapeamento sistemático das pradarias marinhas do Estuário do Sado.

Jorge Calado, Professor emérito do Instituto Superior Técnico é Doutorado em Química pela Universidade de Oxford, lecionou na Universidade de Yale, nos EUA. Tem ainda tido uma contribuição impar a nível internacional na promoção da cultura científica e da relação entre as Artes e as Ciências, designadamente através da música e da ópera e das suas múltiplas relações com o desenvolvimento científico ao longo dos últimos séculos.

O Professor e investigador dedicou-se ao estudo da termodinâmica de fluidos moleculares e das suas misturas, tendo publicado mais de 170 artigos em revistas internacionais e formado várias gerações de químicos em Portugal.

Foi o primeiro Químico a receber o Prémio Ferreira da Silva, o mais alto galardão da Sociedade Portuguesa de Química. Vencedor do Prémio Universidade de Lisboa 2016.

Jorge Calado não pode estar presente para receber a medalha de Mérito Científico que agora lhe foi atribuída.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!