Orquestra Sinfónica da Extremadura Espanhola no CCB e em Torres Vedras

Orquestra Sinfónica da Extremadura Espanhola interpreta o Duplo Concerto de J. Brahms, e em estreia absoluta, a obra de N. Côrte-Real, Welligton Suite. No Teatro-Cine de Torres Vedras, a 7 de janeiro e no CCB, em Lisboa, a 8 de janeiro.

0
0
Partilhas
Orquestra Sinfónica da Extremadura Espanhola no CCB e em Torres Vedras
Orquestra Sinfónica da Extremadura Espanhola no CCB e em Torres Vedras. Foto: © DR

No concerto inaugural dos 10 Anos da Temporada Darcos, a Orquestra Sinfónica da Extremadura Espanhola, sediada em Badajoz, e grande impulsionadora cultural da região estremenha espanhola, vai interpretar o Duplo Concerto de J. Brahms, com os solistas Johannes Lorstad, no violino, e Filipe Quaresma, no violoncelo.

Escrita para dois grandes virtuosos da época, o violinista Joachim e o violoncelista Haussmann, a última obra composta por Brahms no género concertante, foi estreada em Colónia em 1887 sob a batuta do compositor.

Revisitados serão também os compositores W. A. Mozart, com a Abertura da ópera Don Giovanni, e M. Falla, com a célebre Dança do Fogo, retirada da sua obra capital O Amor Bruxo.

Em estreia absoluta, vai ouvir-se a obra de N. Côrte-Real, Welligton Suite, cujas partes concertantes de piano e gaita-de-foles conferem um timbre singular a esta música celebrativa do bicentenário da edificação das Linhas de Torres Vedras, esse monumento militar que determinou o fim das invasões napoleónicas na Península Ibérica.

Entre as sonoridades líricas nas páginas de Brahms, e as sonoridades mais rudes e populares da gaita-de-foles na Wellington Suite, inicia-se a décima edição da Temporada Darcos, 10 Anos de música clássica na Região Oeste, no Teatro-Cine de Torres Vedras, a 7 de janeiro, e em Lisboa, no Centro Cultural de Belém (CCB), a 8 de janeiro.

PROGRAMA

A. Mozart (1756-1791)

Abertura da ópera “Don Giovanni”

Falla (1876-1946)

Dança do Fogo (do Amor Bruxo)

Côrte-Real (1971-)

Wellington Suite – estreia absoluta

(para gaita-de-foles, piano e orquestra)

intervalo

Brahms (1833-1897)

Duplo Concerto para violino, violoncelo e orquestra, em lá menor (op.102)

Allegro

Andante

Vivace non troppo

Com

Johannes Lorstad violino

Filipe Quaresma violoncelo

Helder Marques piano

Ana Pereira gaita-de-foles

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz