Rita Guerreiro e José Brás integram equipa de cientistas do Van Andel Research Institute

Cientistas portugueses em doenças neurodegenerativas, Rita Guerreiro e José Brás, integram grupo de neurocientistas de topo mundial no Van Andel Research Institute, nos EUA.

0
Rita Guerreiro e José Brás integram equipa de cientistas do Van Andel Research Institute
Rita Guerreiro e José Brás integram equipa de cientistas do Van Andel Research Institute. Foto: DR

O Instituto de Investigação Van Andel deu as boas-vindas aos cientistas portugueses Rita Guerreiro e José Brás que agora integram a crescente equipa de investigadores dedicados a encontrar as melhores terapias para doenças como: Parkinson e Alzheimer.

Rita Guerreiro e José Brás têm vindo a investigar as mudanças genéticas que contribuem para o início e a progressão de doenças neurodegenerativas, bem como variações raras transmitidas pelas famílias.

“Nas próximas décadas, espera-se que o número de pessoas com doença de Parkinson e Alzheimer aumente significativamente, aumentando a importância de decifrar exatamente o que está errado nesses distúrbios e planeando maneiras de o corrigir”, referiu Patrik Brundin, diretor do Center for Neurodegenerative Science do Instituto de Investigação Van Andel.

O responsável pelo Center for Neurodegenerative Science referiu que “Rita Guerreiro e José Brás têm um conhecimento excecional que será incrivelmente valioso à medida que continuamos na procura de maneiras de retardar ou impedir a progressão da doença” de Parkinson e Alzheimer.

Até o momento, Rita Guerreiro e José Brás identificaram uma série de fatores de risco genéticos para as doenças de Alzheimer e de Parkinson e identificaram genes causadores de doenças em várias formas familiares desses distúrbios. Entre os mais significativos estão variantes de um gene chamado TREM2, que é um forte fator de risco para a doença de Alzheimer.

Os dois cientistas portugueses lideram um consórcio internacional que tem como objetivo compreender as bases genéticas da demência de corpos de Lewy, uma condição marcada pelo declínio cognitivo que compartilha muitas características semelhantes às de Parkinson e de Alzheimer.

Antes de ingressarem no Van Andel Research Institute, os cientistas portugueses foram investigadores principais no Departamento de Neurociência Molecular da University College London e líderes de programa para o Instituto de investigação em Demência do Reino Unido.

José Brás

José Brás é um geneticista molecular de excelência mundial que desenvolve investigação no domínio da variabilidade genética que afeta o aparecimento e a progressão de doenças neurodegenerativas, como Parkinson e Alzheimer.

O neurocientista é licenciado pelo Instituto Politécnico de Coimbra, mestre em métodos biomoleculares pela Universidade de Aveiro e doutorado com distinção, pela Universidade de Coimbra, tendo desenvolvido investigação sob a supervisão de Andrew Singleton e Catarina Oliveira no Laboratório de Neurogenética do Instituto Nacional do Envelhecimento dos Institutos Nacionais de Saúde, e onde investigou a base genética dos distúrbios do movimento.

Em 2010, José Brás, ingressou no University College London como assistente de investigação de pós-doutorado no Departamento de Neurociência Molecular. Em 2015, tornou-se investigador principal efetivo e mais tarde foi nomeado líder do programa no Instituto de Investigação em Demência do Reino Unido.

José Brás já recebeu vários prémios e distinções, incluindo a Bolsa de Investigação da Sociedade de Alzheimer de 2014 e o Prémio Líder de Investigação em Demência da Sociedade de Alzheimer de 2016.

Rita Guerreiro

Rita Guerreiro é uma cientista líder na análise das variações genéticas que contribuem para doenças neurodegenerativas, como a doença de Parkinson e Alzheimer. Licenciada pelo Instituto de Tecnologia da Saúde de Coimbra, com mestrado em Métodos Biomoleculares pela Universidade de Aveiro e doutoramento, com distinção, na Universidade de Coimbra.

A cientista desenvolveu investigação com supervisão de John Hardy e Catarina Oliveira, no Laboratório de Neurogenética do Instituto Nacional do Envelhecimento dos Institutos Nacionais de Saúde. Rita Guerreiro estudou a genética da demência, com foco na procura por novas mutações e novos genes subjacentes à doença de Alzheimer e à demência frontotemporal.

Em 2010, ela integrou o Departamento de Neurociência Molecular no Instituto de Neurologia da University College London como investigadora de pós-doutoramento, onde explorou a variabilidade genética em várias doenças neurológicas (principalmente as doenças de Parkinson e Alzheimer) e investigou como as variantes genéticas afetam o processo da doença a nível molecular.

Em 2014, Rita Guerreiro recebeu o Grande Prémio da Europa IFRAD (Fondation pour la Recherche sur Alzheimer) para Jovens Investigadores.

Em 2015, tornou-se investigadora principal no Departamento de Neurociência Molecular, e obteve uma bolsa de investigação da Alzheimer Society. Em 2017, foi nomeada líder do programa no Instituto de Investigação em Demência do Reino Unido na University College London.

Rita Guerreiro ganhou o primeiro Prémio de investigação do Ano do Alzheimer Research UK, em 2016, e o Prémio Fondazione Gino Galletti de Neurociência, bem como o Prémio Líderes de investigação em Demência da Sociedade de Alzheimer de 2015. Foi reconhecida como Personalidade do Ano em 2015 pelo Presidente da República Portuguesa. Aníbal Cavaco Silva.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!