Terceira etapa do Africa Race não ajudou os portugueses

Quebra de diferencial do MAN TGS atira Elisabete Jacinto para 10 lugar no final da etapa de hoje do Africa Race. A equipa Bio-Ritmo está agora na 19ª posição da classificação geral e em quinto na categoria T4.

0
Elisabete Jacinto piloto da camião no Africa Eco Race
Elisabete Jacinto piloto da camião no Africa Eco Race. Foto: DR

A terceira etapa do Africa Eco Race, entre Agdal e Assa, em Marrocos, começou por dar esperanças de uma boa posição a Elisabete Jacinto que registou um andamento muito rápido durante grande parte da especial. Até ao CP2, a equipa Bio-Ritmo figurou em segundo lugar entre os camiões a discutir de perto a liderança com o húngaro Micklos Kovacs.

A poucos quilómetros do CP3, o diferencial da frente do camião MAN TGS partiu, como descreveu Elisabete Jacinto: “Vínhamos a andar muito bem quando a certa altura ouvimos um barulho. Fizemos mais alguns quilómetros, mas o ruído começou a acentuar-se e parámos para ver o que era. Foi aí que percebemos que o diferencial da frente tinha partido.”

Com o diferencial partido a opção foi mesmo assim continuar para manter-se em prova explicou a piloto:Fizemos o restante percurso com a tração às duas rodas o que significa que tivemos que rolar mais devagar e foi mais difícil terminar a especial. Ainda assim conseguimos imprimir um bom ritmo até ao fim e agora temos que tentar resolver o problema para amanhã arrancar novamente.”

Os portugueses terminaram a especial em 10º lugar, entre os camiões, numa etapa em que chegaram a estar a 40 segundos do primeiro lugar quando surgiu o imprevisto que obrigou a uma diminuição da velocidade em particularmente na zona de dunas.

A equipa Bio-Ritmo concluiu o setor seletivo, que teve como vencedor da categoria camião o holandês Gerard De Rooy, em 6h00m02s. Os portugueses seguem agora no quinto posto da classificação geral dos T4.

Amanhã, dia 5 de janeiro, realiza-se a quarta etapa do Africa Eco Race a vai ligar Assa a Fort Chacal. Vão ser cumpridos 499 quilómetros cronometrados na especial mais longa de todo o rali.

A jornada irá ser particularmente complexa em termos de navegação e vai exigir muita concentração. Para além de regressarem ao Oued Draa a caravana vai entrar numa zona de planícies sem muitos pontos visuais para navegar. Ainda antes de chegarem ao acampamento, instalado em Fort Chacal, os concorrentes terão como último desafio a travessia do Oued Hamra.

Classificação da 3ª etapa do Africa Eco Race
Classificação da 3ª etapa do Africa Eco Race
Classificação Geral do Africa Eco Race
Classificação Geral do Africa Eco Race
Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!