Vacina candidata AdCOVID mostra resultados positivos que a distinguem de outras

Vacina para a COVID-19 da biofarmacêutica Altimmune inc, a AdCOVID, é administrada uma única vez via intranasal. Estudos pré-clínicos pela Universidade do Alabama em Birmingham mostram resultados positivos.

0
Vacina candidata AdCOVID mostra resultados positivos que a distinguem de outras
Vacina candidata AdCOVID mostra resultados positivos que a distinguem de outras. Investigadora Frances Lund, da UAB. Foto: UAB

Estudos pré-clínicos da vacina COVID-19 candidata, AdCOVID, realizados pela Universidade do Alabama em Birmingham (UAB) mostram resultados positivos que parecem distinguir esta vacina de outras vacinas candidatas que estão atualmente em estágios avançados de desenvolvimento clínico.

Ao contrário de outras vacinas candidatas que são administrados por injeção intramuscular, a AdCOVID da biofarmacêutica Altimmune inc., é administrada por uma única injeção intranasal. Os investigadores verificaram que na aplicação em modelos animais na UAB, uma dose única resultou numa resposta potente de células T na camada de muco dos pulmões, incluindo células T CD8 + assassinas, que podem reconhecer e matar células infetadas pelo coronavírus.

Estudos recentes têm vido a sugerir importância das respostas das células T para a proteção de longo prazo da COVID-19.

“Acredita-se que a resposta das células T da mucosa no trato respiratório seja dependente da via de administração intranasal e acreditamos que ela tem o potencial de fornecer proteção adicional contra a COVID-19”, anunciou a Altimmune em um comunicado à imprensa. “A indução de uma resposta de células T da mucosa nos pulmões não foi demonstrada, até o momento, com as vacinas candidatas COVID-19 administradas por via intramuscular que estão atualmente em estágios avançados de desenvolvimento clínico.”

Esta notícia segue o anúncio de julho pela Altimmune de que a vacina candidata – testada como um spray intranasal em ratos por investigadores da UAB induziu uma resposta imune de no sangue de ratos que foi forte o suficiente para neutralizar o coronavírus da COVID-19, bem como uma potente resposta do sistema imunológico no trato respiratório que é o local onde o vírus da COVID-19 infeta pela primeira vez. A vacina candidata cria uma resposta imune contra a proteína spike do vírus COVID-19 que ajuda o coronavírus a ligar-se a uma célula humana para iniciar a infeção.

“A propriedade que diferencia a AdCOVID é que ela demonstrou induzir pré-clinicamente uma resposta potente de células T e anticorpos IgA nos pulmões, além da resposta sistémica de anticorpos neutralizantes induzida por candidatos a vacina intramuscular”, referiu Frances Lund, investigadora que liderou os testes pré-clínicos da vacina candidata AdCOVID. “Esta resposta imune da mucosa local é uma adição importante à resposta imune sistémica e tem o potencial de bloquear a infeção e prevenir a transmissão.”

Além da potente imunogenicidade após administração de uma dose única, a AdCOVID deve apresentar benefícios adicionais em termos de distribuição e administração da vacina. A dosagem intranasal fornece à AdCOVID o potencial de ser administrada rapidamente e sem a necessidade de agulhas, seringas ou profissionais de saúde treinados. Além disso, a estabilidade esperada à temperatura ambiente da AdCOVID pode permitir uma ampla distribuição da vacina sem a necessidade de uma logística cara da cadeia de frio, como refrigeração ou congelamento.

A Altimmune está atualmente a fabricar AdCOVID para um estudo de imunogenicidade e segurança de Fase 1 humana, com início previsto para o quarto trimestre de 2020.

A colaboração Altimmune-UAB foi anunciada em 30 de março, e Frances Lund fez desse trabalho a maior prioridade para seu grupo, que incluía seis laboratórios UAB, todos a trabalhar sob os protocolos de segurança UAB COVID-19. “O objetivo”, disse na data, “é levar os dados para a Altimmune o mais rápido possível, para que eles usem as informações obtidas no estudo pré-clínico para projetar seu ensaio clínico em pessoas”.

Em detalhes, o anúncio da Altimmune de hoje refere que a AdCOVID mostrou potente estimulação de células T CD4 + e CD8 + específicas do antígeno nos pulmões de ratos CD-1 logo em 10 dias após uma única vacinação intranasal, com respostas fortemente inclinadas para células T CD8 + . As células T CD4 + e CD8 + exibiram fenótipos consistentes com a resposta imune do tipo Th1, que é importante para o controlo da infeção viral.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!