Vacinas, testes e tratamentos para a COVID-19 devem chegar a todos

Líderes mundiais assumem o compromisso de acelerar as vacinas, testes e tratamentos para a COVID-19 e garantir o acesso equitativo em todo o mundo. OMS está a testar vacinas e avaliar a segurança e eficácia de quatro terapêuticas contra a COVID-19.

0
Vacinas, testes e tratamentos para a COVID-19 devem chegar a todos
Vacinas, testes e tratamentos para a COVID-19 devem chegar a todos. Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da OMS. Foto: OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está a trabalhar com investigadores de centenas de instituições de todo o mundo para desenvolver e testar vacinas, padronizar ensaios e abordagens regulatórias em projetos de ensaios inovadores e a definir critérios para priorizar candidatos a vacinas.

A OMS indicou que possui diagnósticos pré-qualificados que estão a ser usados ​​em todo o mundo e outros estão em curso, e anunciou que “está coordenando um estudo global para avaliar a segurança e eficácia de quatro terapêuticas contra o COVID-19”.

Para a OMS o desafio passa por “acelerar e harmonizar os processos para garantir que, uma vez que os produtos sejam considerados seguros e eficazes, estes possam ser levados a milhares de milhões de pessoas no mundo. A experiência passada, nos primeiros dias do tratamento do VIH, por exemplo, e no desenvolvimento de vacinas contra o surto de H1N1 em 2009, mostra que, mesmo quando as ferramentas estão disponíveis, elas não estão igualmente disponíveis para todos.

Hoje, os líderes se reuniram em um evento virtual, organizado pela Organização Mundial de Saúde, o Presidente da França, o Presidente da Comissão Europeia e a Fundação Bill & Melinda Gates. Participaram do evento o Secretário-geral da ONU, o Presidente da Comissão da Unidade Africana, o Presidente do G20, chefes de estado da França, África do Sul, Alemanha, Vietname, Costa Rica, Itália, Ruanda, Noruega, Espanha, Malásia e representante do primeiro-ministro do Reino Unido.

Líderes de saúde da Coligação de Inovações em Preparação para Epidemias (CEPI), GAVI – Aliança para Vacinas, Fundo Global, UNITAID, Wellcome Trust, Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC), Federação Internacional de Fabricantes Farmacêuticos (IFPMA), a Rede de Fabricantes de Vacinas dos Países em Desenvolvimento (DCVMN) e a Associação Internacional de Medicamentos Biossimilares e Genéricos (IGBA) comprometeram-se em unir-se, orientadas por uma visão comum de um planeta protegido do sofrimento humano e pelas devastadoras consequências sociais e económicas da COVID- 19, para lançar uma colaboração inovadora. A estes juntam-se dois Enviados Especiais: Ngozi Okonjo-Iweala, Presidente do Conselho Gavi e Sir Andrew Witty, ex-CEO da GlaxoSmithKline.

Todos comprometeram-se a trabalhar em prol do acesso global equitativo, com base num nível sem precedentes de parceria. Eles concordaram em criar uma voz forte e unificada, desenvolver experiências passadas e prestar contas ao mundo, às comunidades e umas às outras.

“Nosso compromisso compartilhado é garantir que todas as pessoas tenham acesso a todas as ferramentas para prevenir, detectar, tratar e derrotar o COVID-19”, referiu Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da OMS. “Nenhum país e nenhuma organização pode fazer isto sozinho. O acesso ao acelerador de ferramentas COVID-19 reúne o poder combinado de várias organizações para trabalhar com velocidade e escala”.

Os líderes da saúde pediram à comunidade global e aos líderes políticos que apoiem esta colaboração histórica e que os doadores forneçam os recursos necessários para acelerar a execução e atingir os objetivos, capitalizando a oportunidade oferecida por uma iniciativa de comprometimento futura que começa em 4 de maio de 2020. Esta iniciativa, liderada pela União Europeia, tem como objetivo mobilizar recursos significativos necessários para acelerar o trabalho de proteção do mundo contra a COVID-19.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!