Variante Delta do coronavírus está a levar vacinados ao hospital

Uma percentagem relativa significativa de pessoas que são hospitalizadas infetadas com COVID-19 já tomaram a vacina completa. Dados do Public Health England indicam que os níveis de vírus da variante Delta é igual nas pessoas vacinadas e não vacinadas.

0
Variante Delta do coronavírus está a levar vacinados ao hospital
Variante Delta do coronavírus está a levar vacinados ao hospital

A variante Delta do coronavírus SARS-CoV-2 é dominante em vários países. No Reino Unido o Public Health England (PHE) indica a Delta é esmagadoramente dominante e que é responsável por aproximadamente 99% dos casos de COVID-19.

O PHE indica, também, que uma grande percentagem dos infetados com COVID-19 com necessidade de cuidados hospitalares são pessoas vacinadas com as doses completas. As vacinas não são 100% eficazes e não impedirão que todas as pessoas contraiam COVID-19, esclarece o PHE e por isso quanto mais a população for vacinada se verificará uma percentagem relativa maior de pessoas vacinadas no hospital.

Alguns dados indicam que os níveis de vírus nas pessoas infetados com a variante Delta e que já foram vacinadas, podem ser semelhantes aos níveis encontrados nas pessoas infetadas mas não vacinadas. Uma situação que pode ter implicações na infecciosidade das pessoas, independentemente de terem sido vacinadas ou não. No entanto, o PHE indica que são necessários mais estudos para confirmar a descoberta.

A PHE também publicou a avaliação de risco de várias variantes e indicou que existem evidências laboratoriais preliminares que sugerem que a vacinação e a infeção prévia podem ser menos eficazes na prevenção da infeção com a nova variante VUI-21JUL-01. No entanto, nada indica que esta variante seja mais transmissível do que a variante Delta, mais refere que são necessários mais estudos.

Jenny Harries, diretora-executiva da Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido, disse: “Os últimos números de hospitalizações mostram mais uma vez a importância de todos nos apresentarmos para receber as duas doses da vacina assim que pudermos. A vacinação é a melhor ferramenta que temos para nos manter e aos nossos familiares protegidos contra o risco de doenças graves que a COVID-19 pode representar”.

Mas Jenny Harries lembra que “as vacinas não eliminam todos os riscos: ainda é possível adoecer com COVID-19 e infetar outras pessoas”, e “se apresentar sintomas, fique em casa e faça um teste de PCR o mais rápido possível”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!