Carotenoides diminuem risco de doenças cardiometabólicas

Aumentam evidências que uma dieta com carotenoides diminui o risco de se desenvolver doenças cardiometabólicas, que são uma das principais causas de morte. Investigadores da EUROCAROTEN expandem a investigação em carotenoides.

0
Carotenoides diminuem risco de doenças cardiometabólicas
Carotenoides diminuem risco de doenças cardiometabólicas. Foto: © Rosa Pinto

Já vem de muitos anos o interesse por carotenoides, como constituintes dos alimentos e como responsáveis pela cor que lhe conferem, e por alguns deles serem precursores de vitamina A.

Os carotenoides são pigmentos responsáveis ​​por tons de vermelho brilhante, amarelo e laranja em muitas frutas e vegetais, embora sejam também muito abundantes em vegetais verdes, onde são mascarados pelas clorofilas.

Até o momento, já foram descritos mais de 750 carotenoides em plantas, algas, animais, fungos e uma ampla variedade de microrganismos procarióticos.

Como referem investigadores da EUROCAROTEN, uma rede de investigadores lançada em 2006 pelo Programa de Cooperação Europeia em Ciência e Tecnologia (COST, na sigla em inglês), os carotenoides são compostos muito versáteis que desempenham papéis importantes na natureza, e a sua presença nos alimentos é importante, não apenas pelo seu papel na aceitabilidade dos alimentos, mas também porque podem promover melhor saúde.

Estes compostos extraordinários estão entre os mais antigos da história da vida, e as suas estruturas e ações evoluíram ao longo de milhões de anos. Os carotenoides e seus derivados são fundamentais em processos essenciais, incluindo a fotossíntese, ou seja, o motor da vida na Terra, o desenvolvimento das plantas, a polinização, a dispersão das sementes, o acasalamento animal e muitos outros. Compostos que são indiscutivelmente de grande importância na produção de alimentos.

Os investigadores da EUROCAROTEN referem que se acumulam evidências de que presença dos carotenoides na dieta, em níveis adequados, está associada a um menor risco de desenvolvimento de diversas doenças, como cancro, problemas da visão e da pele, distúrbios metabólicos, entre outros.

Estudos recentes indicam que os carotenoides podem ser benéficos para a redução do risco de doenças cardiometabólicas. Doenças que são uma das principais causas de morte e de encargos económicos estimados em cerca de 192 mil milhões de euros por ano para os europeus.

Os carotenoides, por serem essenciais na fotossíntese, polinização, dispersão de sementes e precursores de hormônios vegetais, são indiscutivelmente fundamentais para a sobrevivência, desenvolvimento e propagação das plantas e, assim, na produção de alimentos e rações para animais.

Para a EUROCAROTEN é importante saber mais sobre os papéis dos carotenoides nas plantas, mas também nas algas ou mesmo nos micróbios. Um conhecimento que será importante para produzir alimentos com mais eficiência e para contribuir para a sustentabilidade. Assim, a investigação sobre carotenoides é crucial para resolver o desafio global de produzir alimentos sustentáveis ​​que promovam a saúde.

Considerando a versatilidade e a importância dos carotenoides na natureza, a EUROCAROTEN foi concebida para coordenar investigações transdisciplinares que levem a uma melhor produção sustentável de alimentos promotores da saúde.

Apesar dos diversos carotenoides atualmente conhecidos, apenas alguns têm ou estão a ser estudados em profundidade. Além disso, a maioria dos derivados de carotenoides são basicamente desconhecidos. Portanto, há intenso interesse e grande potencial para a descoberta de “novos” carotenoides ou derivados, indicam os investigadores da EUROCAROTEN.

A rede europeia EUROCAROTEN do Programa COST para o avanço da investigação e aplicações de carotenoides no setor agroalimentar e na saúde, reuniu uma rede europeia multidisciplinar de investigadores de 35 países, juntando cientistas em microbiologia, química, ciência de alimentos, tecnologia de alimentos, nutrição, biotecnologia, ciência de plantas, agricultura, farmacologia, toxicologia e perícia médica.

A importância da investigação em carotenoides é bem demonstrada pelo interesse que tem vindo a despertar um artigo publicado em 2018 na Progress in Lipid Research, a revista mais bem classificada na Nutrition and Dietetic, pela EUROCAROTEN, e que já recebeu quase 200 citações.

O artigo analisa a biossíntese de carotenoides em diversos organismos, a sua importância na área agroalimentar e na saúde e delineia novas necessidades de investigação. A indústria agroalimentar é o segundo maior setor económico da União Europeia, que emprega cerca de 50 milhões de pessoas e um valor cerca de 750 mil milhões de euros por ano, na Europa.

“Os carotenoides são compostos extraordinários que servem para ilustrar a magia e sabedoria da Natureza, que aprendeu a aproveitar este antigo composto para os mais diversos fins, incluindo tornar as nossas dietas mais saudáveis ​​e apelativas”, afirmou, citado em comunicado, Antonio J. Meléndez Martínez, da EUROCAROTEN.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!