Coagulação sanguínea está a causar a morte de pacientes de COVID-19

Estudo de cientistas irlandeses concluiu que pacientes com infeção grave por COVID-19 podem vir sofrer de microcoágulos nos pulmões. O prognóstico é virem a ser significativamente mais propensos a entrar na Unidade de Cuidados Intensivos.

0
Coagulação sanguínea está a causar a morte de pacientes de COVID-19
Coagulação sanguínea está a causar a morte de pacientes de COVID-19. James O Donnell, Consultor em hematologia no Centro Nacional de Coagulação no St James's Hospital, Dublin. Foto: DR

Estudo de cientistas clínicos da Royal College of Surgeons in Ireland (RCSI), Universidade de Medicina e Ciências da Saúde, conclui que pacientes irlandeses internados no Hospital com infeção grave por COVID-19 estão a sofrer coagulação sanguínea anormal que contribui para a morte em alguns pacientes.

O estudo, realizado pelo Centro Irlandês de Biologia Vascular, RCSI e St James’s Hospital, Dublin, foi publicado no British Journal of Hematology.

Os autores descobriram que a coagulação sanguínea anormal ocorre em pacientes irlandeses com infeção grave por COVID-19, causando microcoágulos nos pulmões. E também descobriram que pacientes com níveis mais altos de atividade de coagulação sanguínea tinham um prognóstico significativamente pior e eram mais propensos terem de ser admitidos na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI).

“Nossas novas descobertas demonstram que o COVID-19 está associada a um tipo único de distúrbio de coagulação sanguínea, focado principalmente nos pulmões e que, sem dúvida, contribui para os altos níveis de mortalidade observados em pacientes com COVID-19”, referiu James O Donnell, diretor do Centro Irlandês de Biologia Vascular, RCSI e consultor em hematologia no Centro Nacional de Coagulação no St James’s Hospital, Dublin.

“Além da pneumonia que afeta os pequenos sacos de ar dentro dos pulmões, também encontramos centenas de pequenos coágulos sanguíneos nos pulmões. Esse cenário não é observado em outros tipos de infeção pulmonar e explica por que os níveis de oxigénio no sangue caem drasticamente na infeção grave por COVID-19”, referiu o cientista.

“Entender como estes microcoágulos estão a ser formados no pulmão é fundamental para que possamos desenvolver tratamentos mais eficazes para nossos pacientes, particularmente para os grupos de alto risco”.

James O Donnell liderou o estudo interdisciplinar que envolveu Helen Fogartye, Liam Townsend, e consultores de várias especialidades do St James’s Hospital, bem como investigadores da RCSI e do Trinity College Dublin, acrescentou: “São necessários mais estudos para investigar se diferentes tratamentos para tornar o sangue mais fino podem ser usados em pacientes considerados de alto risco, com o objetivo de reduzir o risco de formação de coágulos”.

Há evidências que mostram que o problema anormal de coagulação do sangue na COVID-19 resulta num risco significativamente aumentado de ataques cardíacos e derrames.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!