Estrutura do novo coronavírus indica que possui alta taxa de infeção

Novo coronavírus SARS-CoV-2 reúne as propriedades de dois coronavírus anteriormente conhecidos, propaga-se facilmente e tem uma alta taxa de infeção letal. Investigadores descobriram que os gatos e outros animais são suscetíveis ao coronavírus.

0
Estrutura do novo coronavírus indica que possui alta taxa de infeção
Estrutura do novo coronavírus indica que possui alta taxa de infeção

Investigadores da Universidade Cornell, que estudam a estrutura do novo coronavírus SARS-CoV-2, descobriram um recurso exclusivo deste vírus que pode explicar por que se transmite tão bem entre as pessoas, e também observam que, além dos primatas, os gatos, furões e martas são as espécies animais aparentemente mais suscetíveis a este vírus da COVID-19.

O estudo identificou um loop estrutural na proteína spike do SARS-CoV-2, a área do vírus que facilita a entrada na célula, uma sequência de quatro aminoácidos que é diferente de outros coronavírus humanos conhecidos nesta linhagem viral.

No estudo, em que é autor sénior o professor de virologia Gary Whittaker, uma análise da linhagem do SARS-CoV-2 mostrou que compartilhava propriedades do SARS-CoV-1 intimamente relacionado, que apareceu pela primeira vez em humanos em 2003 e que é letal, mas não tão altamente contagioso, e o HCoV-HKU1, um transmissor altamente transmissível, mas relativamente com uma ação benigna para os humanos. O SARS-CoV-2 é altamente transmissível e letal.

Um vírus que “tem esta estranha combinação de ambas as propriedades”, referiu o virologista, e acrescentou: “A previsão é que o loop é muito importante para a transmissibilidade ou estabilidade, ou para ambos” as condições.

Gary Whittaker referiu que os investigadores estão focados num estudo mais aprofundado deste loop estrutural e na sequência de quatro aminoácidos.

Os gatos, furões e mustelas visons também são suscetíveis

Para infetar uma célula, os recursos da proteína spike devem ligar-se a um recetor na superfície da célula hospedeira, e os gatos têm um local de ligação ao recetor que se aproxima da dos humanos. Até o momento, as infeções em gatos parecem leves e pouco frequentes, e não há evidências de que os gatos possam, por sua vez, infetar humanos.

O virologista acrescentou que investigações sobre coronavírus felinos podem fornecer pistas adicionais sobre SARS-CoV-2 e os coronavírus em geral.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!