Investigadores pedem vacinação COVID-19 prioritária para diabéticos

Estudos indicam que os indivíduos com diabetes têm três vezes mais probabilidades de ser hospitalizados e de sofrer de doença grave quando infetados com COVID-19. Os investigadores pedem que os diabéticos sejam considerados prioritários para a vacina COVID-19.

0
Investigadores pedem vacinação COVID-19 prioritária para diabéticos
Investigadores pedem vacinação COVID-19 prioritária para diabéticos.Justin Gregory, investigador. Foto: Vanderbilt University Medical Center

Investigadores do Vanderbilt University Medical Center, EUA, descobriram que indivíduos com diabetes tipo 1 e 2 infetados com COVID-19 têm três vezes mais probabilidade de ter uma doença grave ou necessitar de hospitalização em comparação com as pessoas sem diabetes.

Devido ao grande impacto da infeção pelo SARS-Cov-2, os investigadores estão a pedir aos responsáveis pela política de vacinação para colocarem os diabéticos como prioritários para a vacinação COVID-19. Os resultados dos estudos foram publicadas na revista “Diabetes Care”, da American Diabetes Association.

Embora os estudos tenham indicado que os indivíduos com diabetes tipo 2 correm maior risco de complicações mais sérias e de serem hospitalizados quando infetados com o novo coronavírus, os investigadores referem que se sabe pouco sobre o risco para os indivíduos com diabetes tipo 1.

“Eu acho que estes dados apoiam a priorização de indivíduos com tipo 1 ou indivíduos com diabetes tipo 2 para imunização junto com outras condições médicas de alto risco que aumentam o risco de doença grave com COVID-19, como doenças cardíacas ou pulmonares”, referiu Justin Gregory, investigador principal do estudo.

A equipa de investigadores analisou registos médicos dos pacientes e contactou muitos indivíduos por telefone para identificar fatores de risco adicionais e reunir informações sobre como a COVID-19 tinha tido impacto na saúde.

Os investigadores compararam o impacto geral da COVID-19 em três populações: indivíduos com diabetes tipo 1, indivíduos com diabetes tipo 2 e os que não tinham diabetes. No estudo de coorte prospetivo, os investigadores identificaram os participantes do estudo logo após a infeção com COVID-19 e acompanharam esses indivíduos à medida que progrediam na doença.

Justin Gregory recomenda que “as pessoas com diabetes tipo 1 não precisam viver com medo e ter ansiedade indevida, mas precisam ser realmente diligentes” na tomada de todas as recomendações como lavar as mãos, usar mascara e manter o distanciamento social.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!