Maçãs, chá e moderação: os três ingredientes para uma vida longa

Frutas e bebidas à base de plantas, ricas em flavonoides, protegem as pessoas de cancro e de doenças cardíacas. Estudo recente concluiu que a proteção é relativamente maior em pessoas que fumam e que consomem bebidas alcoólicas.

0
Maçãs, chá e moderação: os três ingredientes para uma vida longa
Maçãs, chá e moderação: os três ingredientes para uma vida longa. Foto: © Rosa Pinto

Consumir produtos ricos em flavonoides, como maçãs e chá, protege contra o cancro e as doenças cardíacas, particularmente no caso dos fumadores e consumidores crónicos de bebidas alcoólicas, concluiu novo estudo de investigação da Edith Cowan University (ECU), na Dinamarca.

Investigadores da Escola de Ciências Médicas e de Saúde da ECU analisaram dados da coorte dinamarquesa de Dieta, Cancro e Saúde que avaliaram as dietas de 53.048 dinamarqueses ao longo de 23 anos, e descobriram que as pessoas que habitualmente consumiram quantidades moderadas a altas de alimentos ricos em flavonoides – compostos encontrados em alimentos e bebidas à base de vegetais – foram menos propensas a morrer de cancro ou de doenças cardíacas.

Não há uma solução rápida para os maus hábitos

Nicola Bondonno, investigadora principal, referiu que, embora o estudo tenha encontrado menor risco de morte naqueles que consumiram alimentos ricos em flavonoides, o efeito protetor pareceu ser mais forte nas pessoas com alto risco de doenças crónicas devido ao consumo de tabaco e para os que consumiram mais de duas bebidas alcoólicas por dia.

“Estas descobertas são importantes, pois destacam o potencial para prevenir o cancro e as doenças cardíacas, incentivando o consumo de alimentos ricos em flavonoides, particularmente em pessoas com alto risco dessas doenças crónicas”, referiu a investigadora.

A investigadora acrescentou: “Mas também é importante notar que o consumo de flavonoides não neutraliza todo o risco de morte aumentado pelo tabagismo e pelo alto consumo de álcool. De longe, a melhor coisa a fazer pela sua saúde é parar de fumar e reduzir o consumo de álcool”.

“Sabemos que este tipo de mudança no estilo de vida pode ser muito desafiador, por isso o encorajador consumo de flavonoides pode ser uma nova maneira de aliviar o risco aumentado, ao mesmo tempo em que encoraja as pessoas a parar de fumar e reduzir a ingestão de álcool.”

Quantificar o consumo

O estudo concluiu que os pacientes que consomiram cerca de 500mg de flavonoides por dia tiveram o menor risco de cancro ou morte relacionada com doença cardíaca.

“É importante consumir uma variedade de diferentes compostos flavonoides que se encontram em diferentes alimentos e bebidas à base de plantas. Isso é facilmente obtido através de uma dieta que inclua: uma chávena de chá; uma maçã; uma laranja; 100g de mirtilos e 100g de brócolos, que possui uma ampla gama de compostos flavonoides e mais de 500 mg de flavonoides no total”.

Nicola Bondonno referiu que embora a investigação tenha estabelecido uma associação entre o consumo de flavonoides e um menor risco de morte, a natureza exata do efeito protetor não pareceu clara, mas provavelmente será multifacetada.

A investigadora referiu: “O consumo de álcool e tabaco aumentam a inflamação e danificam os vasos sanguíneos, o que pode aumentar o risco de uma série de doenças”. Ora, “os flavonoides demonstraram ser anti-inflamatórios e melhorar a função dos vasos sanguíneos, o que pode explicar porque é que estão associados a um menor risco de morte por doença cardíaca e cancro”.

Nicola Bondonno referiu ainda que o próximo passo da investigação é examinar mais de perto quais tipos de cancro de doenças cardíacas que são mais protegidos pelos flavonoides.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!