Vírus raro e mortífero na fronteira Uganda-Quénia preocupa OMS

Organização Mundial da Saúde está a apoiar os serviços de saúde do Uganda para conter um surto de doença do vírus de Marburg. Algumas pessoas já morreram e centenas podem estar infetadas. Não há tratamento para o vírus que leva a taxas de mortalidade elevadas.

0
1
Partilhas
Trabalho em Laboratório
Trabalho em Laboratório. Foto: Rosa Pinto/arquivo

Organização Mundial da Saúde (OMS) está a tentar conter um surto de doença do vírus de Marburg (DVM) que surgiu no leste do Uganda na fronteira com o Quénia. A doença do vírus Marburg é uma doença rara com alta taxa de mortalidade para a qual não há tratamento específico.

Uma pessoa já foi confirmada que morreu com a doença DVM e várias centenas de pessoas podem ter sido expostas ao vírus nas instalações de saúde e nas cerimónias tradicionais de enterro no distrito de Kween, uma área montanhosa a 300 quilómetros a nordeste de Kampala, indicou a OMS.

A OMS descreveu que o primeiro caso com o vírus foi detetado pelos serviços do Ministério da Saúde a 17 de outubro. Num centro de saúde uma mulher de 50 anos morreu, a 11 de outubro, no seguimento de um quadro febril, derrame de sangue, vómitos e diarreia. Testes laboratoriais no Uganda Virus Research Institute (UVRI) confirmaram que a causa da morte se deveu a DVM.

O irmão da mulher também tinha morrido de sintomas semelhantes três semanas antes e foi enterrado com um funeral tradicional. O homem trabalhou como caçador desportivo e viveu perto de uma caverna habitada por morcegos Rousettus, que são hospedeiros naturais do vírus Marburg.

Um caso provável e um caso suspeito estão a ser investigados e submetidos a cuidados médicos. A OMS indicou que “está em curso uma investigação para encontrar pessoas que possam ter sido expostas ou infetadas com vírus.”

O Ministério da Saúde do Uganda enviou uma equipa de emergência para a área apoiada por funcionários da Organização Mundial de Saúde, dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e da Rede Africana de Epidemiologia de Campo (AFNET).

A OMS referiu que está fornecendo acessórios médicos, e a dar orientações para a realização de enterros seguros e dignos e libertou 500 nil dólares do seu Fundo de Contingência para Emergências para financiar atividades de resposta de urgência.

Ibrahima-Soce Fall, Diretor Regional de Emergência da OMS referiu, citado em comunicado da organização: “Estamos a trabalhar com as autoridades de saúde para implementar rapidamente medidas de resposta”, e acrescentou: “O Uganda já geriu surtos de Ebola e Marburg, mas o apoio internacional é urgentemente necessário para ampliar a resposta, já que o risco de uma disseminação nacional e regional da doença é alto e com propensão a uma epidemia”.

A OMS lembra que a doença do vírus Marburg é uma doença grave e altamente fatal que é causada pelo vírus Marburg da família Filoviridae; a mesma família que o vírus Ebola. Este vírus é um dos agentes mais virulentos conhecidos por infetar humanos.

O período de incubação do vírus é de 2 a 21 dias e o início dos sintomas é repentino e marcado por febre, arrepios, dor de cabeça e mialgia. Embora a doença do vírus Marburg seja rara, pode resultar em grandes surtos com altas taxas de mortalidade, que podem ir dos 23 aos 90%. A doença é transmitida por contato direto com sangue, fluidos corporais e tecidos de pessoas infetadas ou animais selvagens, como macacos e morcegos de frutas.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz