AVC: reconhecer os sinais de alerta pode salvar vidas

No Dia Nacional do Doente com AVC a Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral promove ações de sensibilização para os principais sinais de alarme do AVC, os 3 F’s: desvio da Face, falta de Força num braço e dificuldade na Fala.

0
2
Partilhas
foto: DR

Desvio da Face, falta de Força num braço e dificuldade na Fala: são estes os principais sinais de alarme do Acidente Vascular Cerebral (AVC), os chamados 3 F’s, que exigem a chamada imediata para o 112. A Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (SPAVC) promove ações de sensibilização para estes sinais e para todo o complexo problema que envolve a prevenção e o tratamento do AVC, que terão lugar de norte a sul do país.

“O acidente vascular cerebral (AVC) é tratável e deve ser encarado como uma emergência”, sublinha José Castro Lopes, presidente da Sociedade Portuguesa do AVC (SPAVC), citado em comunicada da Sociedade.

O Presidente da SPAVC lembra que “a Via Verde do AVC, ativada através de chamada para o 112, está organizada em Portugal para encaminhar os doentes rapidamente para os hospitais capazes de fornecer os tratamentos adequados. Mas para que o tratamento tenha sucesso o respeito pelo tempo é fundamental”.

“Existe uma ‘janela terapêutica’ para o tratamento do AVC, ou seja, um momento ótimo para intervir no sentido de minimizar os danos no sistema nervoso central. Esta ‘janela terapêutica’, na maioria das vezes, tem uma duração de poucas horas, o que determina a necessidade de rapidez no atendimento às pessoas que apresentam um AVC agudo”, explica o especialista.

Em Portugal há três portugueses por hora a sofrer um AVC, um destes três morre, e dos dois restantes um ficará com sequelas incapacitantes. O AVC continua a ser a principal causa de morte e de incapacidade em Portugal. O custo económico por pessoa que sofre um AVC está estimado em 5,800 mil euros por ano.

A SPAVC está a dinamizar atividades gratuitas, de norte a sul do país, esclarecendo e sensibilizando a população para o combate a este problema de saúde pública.

O presidente da SPAVC referiu que com as ações do dia 31 de março, pretende-se que a população fique mais informada sobre a doença, e assim se torne mais exigente consigo própria e com quem tem obrigação de lhe proporcionar os meios de prevenção e de tratamento, sendo certo que os primeiros são preferíveis aos segundos”.

José Castro Lopes apela a que todos se tornem pró-ativos e se desloquem aos locais de esclarecimento, que têm vindo a ser divulgados, dado que a participação é essencial para ser vencido o combate contra as consequências do AVC.

Calendarização de atividades da SPAVC:

Aveiro

31 de março – sessão de informação na Sala Diatosta do Centro Hospitalar das 9h30 às 11h30

Caldas da Rainha

31 de março – sessão de sensibilização no Centro Hospitalar das Caldas da Rainha com a população e profissionais de saúde locais.

Coimbra

1 de abril – caminhada de 10 quilómetros com início às 10h no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e fim previsto às 13h.

Évora

31 de março – caminhada ‘Serpente Papa-léguas – À procura dos sinais de alerta do AVC’ às 9h30 para as escolas de 1.º ciclo de Évora; Inauguração da exposição de desenhos ‘Sinais de alerta do AVC’ na Fundação Eugénio de Almeida às 11h30, seguida de sessão de esclarecimento para toda a população, agendada paras as 15h00.

Faro

31 de março – entre as 8h e as 11h rastreio dos fatores de risco vascular no Parque Lazer das Figuras; Palestra ‘AVC: o que é? Sinais e Sintomas’ no Auditório do Centro Hospitalar do Algarve entre as 11h30 e as 13h00; Piquenique do AVC no Parque de Lazer das Figuras à hora de almoço; Workshops Pontos base de agilização da via verde de AVC no auditório do Centro Hospitalar do Algarve, entre as 14h30 e as 15h30.

1 de abril – Caminhada do AVC entre as 9h00 e as 10h00 seguindo o Percurso do Parque Ribeirinho.

Figueira da Foz

31 de março – divulgação dos sinais de alerta para o AVC no Hall da consulta externa e Hall do Serviço de Urgência do Hospital Distrital da Figueira da Foz.

Funchal

3 de abril – Sessão formativa aos profissionais de saúde do Centro de Saúde de Machico e Centro de Saúde da Calheta e exposição de posters com a divulgação dos sinais de alerta e atitudes a tomar perante a sua suspeita.

Lisboa – Hospital de Santa Maria

31 de março – entre as 10h00 e as 16h00 irão decorrer várias atividades na entrada do Hospital (jardim): divulgação dos ‘Sinais de Alerta do AVC’, sensibilização para controlo de fatores de risco vascular, aconselhamento dietético personalizado e orientação para cessação tabágica. Demonstração prática de confeção de alimentação saudável pelo Chef Fábio Bernardino (12h30-13h30). Aula de Movimento no jardim (14h00-15h00)

Lisboa – Hospital de S. José

31 de março – Exposição de posters com a divulgação de fatores de risco vascular, sinais de alerta e atitudes a tomar perante a sua suspeita. Divulgação de dados estatísticos relativos à Viva Verde AVC no Hospital de S. José no ano 2016. Distribuição de folhetos informativos. Caminhada desde o Hospital até ao Terreiro do Paço

Loures

31 de março – rastreio de fatores de risco vascular entre as 9h00 e as 14h00 com ações de sensibilização à população e aconselhamento personalizado na receção principal do Hospital Beatriz Ângelo.

Macedo de Cavaleiros

31 de março – A partir das 9h00 haverá um rastreio dos fatores de risco (hipertensão arterial, colesterol, diabetes e índice de massa corporal), com atividade física programa para as 15h30.

Penafiel

31 de março – sessão de sensibilização no Hospital com a população e profissionais de saúde locais.

Santarém

31 de março – rastreios dos fatores de risco vascular no Shopping de Santarém e na galeria do supermercado Continente. Sessão de esclarecimento dirigida aos alunos de enfermagem e a toda a população no Hospital Distrital de Santarém.

Setúbal

31 de março – rastreio dos fatores de risco do AVC dirigido aos profissionais do Centro Hospitalar de Setúbal, entre as 08h30 e as 13h30 na Sala de Sessões do Hospital de São Bernardo.

Viana do Castelo

31 de março – sessões na Unidade de AVC do Hospital de Santa Luzia de Viana do Castelo, Medicina 1, piso 7: sessão de exercício com doentes internados (11h00) e aula de ginástica livre (14h00).

1 de abril – rastreio dos fatores de risco de AVC no Estação Viana Shopping.

Vila Franca de Xira

31 de março – Rastreio dos fatores de risco aberto à comunidade no Hospital Vila Franca de Xira, Piso 4, junto aos elevadores.

Para mais informações sobre cada uma das atividades, consulte: http://www.spavc.org/pt/actividades/2017

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz