Caso Madeleine McCann tem um suspeito alemão

Polícia inglesa identificou suspeito do desaparecimento de Madeleine McCann em 2007, na Praia da Luz, no Algarve. Os investigadores da Metropolitan Police fazem um apelo público para informações sobre o suspeito, carros e telemóveis.

0
Caso Madeleine McCann tem um suspeito alemão
Caso Madeleine McCann tem um suspeito alemão. Foto: © DR

Os inspetores da polícia inglesa, num trabalho conjunto com as autoridades alemãs (BKA), identificaram um homem que se encontra atualmente preso na Alemanha, como suspeito do desaparecimento de Madeleine McCann, indica a Metropolitan Police em comunicado.

O comunicado refere que o suspeito é um homem branco que em 2007 deveria ter cabelos loiros curtos, possivelmente lisos. Uma altura de cerca de 1,80m e magro. Atualmente possui 43 anos, mas em 2007 poderia apresentar um aspeto entre 25 e 30 anos.

A polícia concluiu que o suspeito viveu no Algarve entre 1995 e 2007, e que terá frequentado a uma área junto à Praia da Luz e regiões vizinhas. O suspeito está atualmente preso na Alemanha por um assunto não relacionado com o desaparecimento de Madeleine McCann.

A Metropolitan Police divulgou fotografias de dois veículos usados pelo suspeito durante o mesmo período do desaparecimento de Madeleine McCann.

Um veículo tipo carrinha caravana VW T3 Westfalia. É um modelo do início dos anos 80, com duas cores, uma parte superior do corpo branca e um contorno amarelo, e possuía placa de matrícula portuguesa.

Para a polícia o suspeito teve acesso à carrinha desde pelo menos abril de 2007 até um pouco depois de maio de 2007. A carrinha foi usada dentro e ao redor da Praia da Luz. O suspeito terá vivido na carrinha durante dias, possivelmente semanas, e pode tê-la usado em 3 de maio de 2007.

Os inspetores apelam para qualquer pessoa que possa ter visto a carrinha na Praia da Luz ou nos arredores, em 3 de maio, na noite em que Madeleine McCann desapareceu, nos dias anteriores ou semanas após o desaparecimento.

Carrinha caravana VW T3 Westfalia
Carrinha caravana VW T3 Westfalia. Foto: © DR
Carrinha caravana VW T3 Westfalia
Carrinha caravana VW T3 Westfalia. Foto: © DR
Carrinha caravana VW T3 Westfalia
Carrinha caravana VW T3 Westfalia. Foto: © DR

O outro veículo é um Jaguar de 1993, modelo XJR 6, com uma matrícula alemã e registado na Alemanha.

A polícia acredita que o Jaguar tenha estado na Praia da Luz e arredores em 2006 e 2007. O carro foi originalmente registado em nome do suspeito. Mas em 4 de maio de 2007, um dia após o desaparecimento de Madeleine McCann, o carro foi registado novamente em nome de outra pessoa na Alemanha.

Para registar novamente o carro na Alemanha, o carro não necessita de estar no país ou na região. A polícia acredita que o carro ainda estava em Portugal a 4 de maio e vem também apelar a informações sobre o veículo, nomeadamente se o mesmo foi visto.

Jaguar de 1993, modelo XJR 6
Jaguar de 1993, modelo XJR 6. Foto: © DR
Jaguar de 1993, modelo XJR 6
Jaguar de 1993, modelo XJR 6. Foto: © DR
Jaguar de 1993, modelo XJR 6
Jaguar de 1993, modelo XJR 6. Foto: © DR

A Metropolitan Police pretende saber se alguém viu os carros juntos ou individualmente durante a primavera e o verão de 2007. Ambos os veículos estão à guarda das autoridades alemãs.

Os investigadores também estão a pedir informações sobre dois números de telemóvel, um dos quais a polícia acredita ter sido usado pelo suspeito no dia do desaparecimento de Madeleine McCann.

O primeiro número é 912 730 680. E um levantamento extensos levou os investigadores a acreditar que o suspeito estava a usar este número e que recebeu uma chamada, com inicio às 19h22 e que terminou às 20h20 de 3 de maio de 2007. Esta chamada foi recebida na região da Praia da Luz.

O segundo número de telemóvel 916 510 683. Este número de telemóvel é que fez a chamada, mas que quando foi feita a chamada não estava na área da Praia da Luz.

Os investigadores acreditam que a pessoa que fez essa ligação é uma testemunha altamente significativa e por isso apela a que entre em contacto com a polícia.

A equipa de investigadores britânicos também pergunta se alguém reconhece esses números, ou se ligou para os números? Se os números estão registados noutro telemóvel, num telemóvel antigo, ou nos contactos telefónicos?

A polícia indica que há uma recompensa de 20.000,00 libras por informações que levem à condenação da pessoa ou pessoas responsáveis ​​pelo desaparecimento de Madeleine McCann

O inspetor-chefe do caso Madeleine McCann, Mark Cranwell, referiu: “Faz mais de 13 anos que Madeleine desapareceu e ainda não foi encontrada, nós podemos imaginar como deve ser para a família dela, sem saber o que aconteceu ou onde está”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!