Dietas vegetarianas não são todas saudáveis

Estudo mostra que nem todas as dietas vegetarianas são saudáveis e lista diversos produtos vegetais que diminuem os riscos de doenças do coração. O estudo, que envolveu pessoas obesas, mostra que os homens são mais beneficiados.

0
Dietas vegetarianas não são todas são saudáveis
Dietas vegetarianas não são todas são saudáveis. Foto: © Rosa Pinto

Os alimentos vegetarianos não são todos igualmente saudáveis concluiu estudo divulgado no Congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia de 2020. O estudo destaca “a qualidade nutricional variável dos alimentos vegetais”, referiu Matina Kouvari, da Harokopio University, Atenas, Grécia, e autora do estudo.

A investigadora esclareceu: “Esta descoberta foi mais evidente nas mulheres. Investigações anteriores mostraram que as mulheres tendem a comer mais alimentos vegetais e menos produtos de origem animal do que os homens. Mas o nosso estudo sugere que isso não garante escolhas alimentares mais saudáveis ​​e, por sua vez, um melhor estado de saúde.”

A maioria dos estudos dietéticos define dietas baseadas em vegetais simplesmente como “vegetarianas” ou “pobres em carne”, tratando assim todos os alimentos vegetais como iguais. O aspeto único do estudo foi examinar o tipo de alimentos vegetais consumidos, além da quantidade total. Os produtos vegetais saudáveis ​​eram principalmente os alimentos menos processados, como grãos, frutas, vegetais, nozes, azeite de oliveira e chá ou café. Os produtos não saudáveis ​​à base de plantas consistiam em sumos, bebidas açucaradas, grãos refinados, batatas e qualquer tipo de doce (por exemplo, chocolate e sobremesas tradicionais gregas).

O estudo examinou a ligação entre a quantidade e a qualidade dos alimentos vegetais e a saúde cardíaca ao longo de um período de 10 anos.

Em 2001 e 2002, o estudo ATTICA selecionou aleatoriamente uma amostra de adultos que viviam em Atenas e que não apresentavam doenças cardiovasculares ou outras doenças crónicas. A análise atual foi realizada em 146 participantes obesos com pressão arterial, lipídios e açúcar no sangue normais. A dieta alimentar foi avaliada através de questionário sobre hábitos habituais, no ano anterior. O estudo listou 156 alimentos e bebidas vulgarmente consumidas na Grécia, com fotografias para ajudar a definir o tamanho das porções.

Numa década, quase metade dos participantes obesos desenvolveram pressão alta, lipídios e açúcar no sangue – uma combinação que aumenta particularmente o risco para a saúde do coração.

Impacto da qualidade de alimentos vegetais

Os homens que consumiam mais alimentos vegetais eram menos propensos a vir a sofrer do coração. Uma tendência também foi observada nas mulheres, mas não atingiu significância estatística.

Com relação à qualidade dos alimentos vegetais, as escolhas mais saudáveis ​​estavam relacionadas à manutenção da pressão arterial, lipídios e açúcar no sangue normais. Por outro lado, o consumo de alimentos não saudáveis ​​à base de plantas foi associado ao desenvolvimento de hipertensão, lipídios elevados e açúcar elevado no sangue. Essas relações eram mais fortes nas mulheres do que nos homens.

Matina Kouvari referiu: “Comer menos carne é benéfico para a saúde do coração, particularmente quando é substituída por alimentos vegetais nutritivos, como grãos inteiros, frutas, vegetais, nozes e azeite.”

A investigadora observou que a análise foi conduzida em indivíduos obesos e os resultados não devem ser estendidos a outras categorias de peso.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!