02 Julho 2022

Tag: Álcool

Beber álcool, ou consumir açúcar leva à sede. Porquê?

Beber álcool, ou consumir açúcar leva à sede. Porquê?

Porque beber álcool ou consumir açúcar leva à sede? Um estudo internacional em ratos no Texas, EUA, e em pessoas na Europa revela um mecanismo antidesidratação inesperado. A descoberta pode levar a fármaco para limitar o consumo de álcool.
As espinhas dendríticas são menos densas depois do consumo de álcool, na parte depois do tratamento com donepezil, a densidade de espinhas dendríticas pareceu voltar a níveis normais

Medicamento usado no tratamento de Alzheimer restaura danos do álcool no cérebro

Medicamento usado por doentes de Alzheimer pode reverter os danos cerebrais estruturais e genéticos, que afetam a memória e a capacidade cognitiva em adolescentes e jovens adultos, que bebem álcool compulsivamente.
Teste Promilless

Teste de álcool descartável revela se está apto a conduzir

Empresa finlandesa lançou inovador teste de álcool para condutores. O teste baseia-se em ingredientes bioquímicos impressos. Uma pequena tira de papel é colocada sobre a língua e o álcool no sangue da saliva vai ser indicado em dois minutos pela mudança de cor da tira.
Mónica Almeida, médica da Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra

Férias agravam abuso de bebidas alcoólicas

Bom tempo, férias, festas regionais, festivais de música e respetivo relaxamento são ingredientes para um aumento de consumo de bebidas alcoólicas. A especialista Mónica Almeida alerta que o consumo excessivo de álcool aumenta risco de acidentes e pode indiciar doença psiquiátrica.
Gravida com copo de vinho

Britânicas são as que consomem mais álcool durante a gravidez

Estudo em 11 países europeus mostra que a maior percentagem de mulheres a consumir álcool durante a gravidez é no Reino Unido e a menor na Noruega. No Reino Unido 28,5% das mulheres gravidas consome álcool, na Rússia são 26,5% e a Suíça 20,9%.
'Cuide da sua Máquina' no 'Mês do Coração'

Insuficiência cardíaca mata mais que alguns tipos de cancro

Fundação Portuguesa de Cardiologia dedica o mês de maio, Mês do Coração, à sensibilização para a insuficiência cardíaca, uma patologia que afeta 26 milhões de pessoas em todo o mundo e cerca de 400 mil pessoas em Portugal.

Siga-nos nas redes sociais

DESTAQUE

MAIS LIDAS