Preparação para enfrentar o coronavírus

Quais os principais sintomas da COVID-19? Como fortalecer o sistema imunitário para combater o coronavírus e como proteger a família? Os especialistas da Universidade do Alabama em Birmingham (UAB), no Reino Unido, dão alguns conselhos.

0
Preparação para enfrentar o coronavírus
Preparação para enfrentar o coronavírus

À medida que o novo coronavírus se propaga a probabilidade de um contacto com uma pessoa infetada aumenta. Especialistas da Universidade do Alabama em Birmingham (UAB), no Reino Unido, compartilham alguns conselhos para ajudar as pessoas a prepararem-se, bem como às famílias, para melhor enfrentar o vírus.

Diferenças entre a COVID-19 e a gripe

Os coronavírus humanos são a segunda causa mais comum de constipações e geralmente causam sintomas leves a moderados. Às vezes, os coronavírus que infetam animais e podem evoluir e tornar-se num novo coronavírus humano, como no caso da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), em 2003, ou no novo coronavírus identificado pela primeira vez em Wuhan, província de Hubei, China, no final de 2019.

A epidemiologista Rachael Lee, da Escola de Medicina da UAB, e professora na Divisão de Doenças Infeciosas, indicou que “os seres humanos não têm imunidade para combater” o novo coronavírus.

Epidemiologista Rachael Lee, da Escola de Medicina da UAB
Epidemiologista Rachael Lee, da Escola de Medicina da UAB. Foto: DR/UAB

Até o momento, as autoridades de saúde chinesas relataram mais de 80 mil infetados pelo coronavírus, na China, e há já varias dezenas de milhares de infetados no mundo, com destaque para países como a Coreia do Sul, Itália e o Irão.

Alguns sintomas da COVID-19, que têm vindo a ser relatados, incluem febre, inflamação da mucosa nasal acompanhada de espirros, secreção e obstrução nasal, dor de cabeça, tosse, cansaço, desconforto gastrointestinal e uma sensação geral de mal-estar. Sintomas que são parecidos com os do vírus da gripe comum.

Como se fortalece a imunidade ao coronavírus

Jessica Grayson, do Departamento de Otorrinolaringologia da UAB, referiu que certos alimentos e suplementos podem ajudar a impulsionar o sistema imunológico, protegendo o corpo contra potenciais germes.

Jessica Grayson, do Departamento de Otorrinolaringologia da UAB
Jessica Grayson, do Departamento de Otorrinolaringologia da UAB. Foto: DR/UAB

“Verificou-se que os alimentos que contêm indol-3-carbinóis reduzem o número de infeções virais – embora não tenham sido especificamente testados para o coronavírus, a prevenção de qualquer doença viral que possa enfraquecer seu sistema imunológico é e será importante”, referiu Jessica Grayson. “Esses alimentos incluem, entre outos, vegetais como couve, espinafre e nabo”.

Jessica Grayson indicou ainda que o sabugueiro possui certos compostos cujos benefícios são reconhecidos. “Existem muitos estudos sobre a atividade antiviral e antimicrobiana do sabugueiro”, e “foi demonstrado em alguns estudos que se liga a alguns subtipos de vírus da gripe para impedir a sua entrada nas células. No entanto, ainda são necessários mais estudos para confirmar se esse é um benefício substancial verdadeiro”.

A epidemiologista Rachael Lee indicou que para aumentar o sistema imunológico é necessário um estilo de vida saudável, e aconselha uma dieta equilibrada, descanso e evitar stress.

Jessica Grayson indicou que não há dados para apoiar que o aumento da vitamina C possa ajudar a prevenir ou a reduzir doenças virais, e que estudos que analisaram esse efeito não mostraram benefícios. Assim, não há provas do benefício no consumo de sumo de laranja ou abacaxi.

Como proteger a família

Ian McKeag, médico de medicina familiar da UAB, referiu que chegou a hora de desinfetar e limpar a casa. Para a desinfeção das bancadas e das áreas comuns deve ser usado álcool isopropílico ou toalhetes desinfetantes.

“Mantenha as superfícies da sua casa limpas, especialmente as áreas onde você come e passa mais tempo”, referiu Ian McKeag. “Use água e sabão para lavar as mãos depois de tocar em áreas contaminadas, como maçanetas, torneiras e outros itens de cozinha. Se você não tiver acesso a água e sabão, use um desinfetante para as mãos. ”

Ian McKeag acrescentou que também é uma boa ideia evitar apertar a mão de outras pessoas. Mas se o fizer, deve lavar as mãos ou usar desinfetante imediatamente, especialmente antes de tocar no rosto.

Jessica Grayson aconselhou a que seja limitado o tempo em locais públicos e evitar pessoas doentes, incluindo aquelas que tossem ou apresentam sintomas.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!