Suíça procura soluções para melhorar cuidados a doentes crónicos

Fundo Nacional Suíço para a Investigação investe mais de 18 M€ em Programa Nacional de Investigação, para desenvolver soluções mais eficazes e mais baratas de prestação de cuidados de saúde aos que sofrem de doenças crónicas.

0
0
Partilhas
Localidade suíça
Localidade suíça. Foto: Rosa Pinto

O envelhecimento da população e o aumento de doenças crônicas levam a uma maior duração de tratamento e de cuidados de saúde, e na Suíça representam já cerca de 80% dos custos em cuidados de saúde.

O Fundo Nacional Suíço para a Investigação (SNSF, sigla em inglês) acaba de lançar o Programa Nacional de Investigação 74 ‘Sistema de Saúde’ (NPR, sigla em inglês) para aumentar o conhecimento sobre os cuidados a prestar aos que sofrem de doenças crónicas, encorajar o uso de abordagens inovadoras e reforçar a investigação em torno do sistema de saúde na Suíça.

Incentivar a transferência de conhecimentos e reforçar a investigação

Milo Puhan, Presidente da Direção do NRP 74, citado em comunicado do SNSF, referiu que “o PNR deve fornecer as bases para decisões com o objetivo, se for o caso, adaptar o sistema de saúde”. Milo Puhan acrescentou que “o objetivo é que os responsáveis ​​políticos, prestadores serviços e os pacientes possam realmente beneficiar dos resultados da investigação”.

Nos últimos cinco anos, a investigação sobre o sistema de saúde na Suíça foi apoiado por uma fundação privada como parte de um programa de incentivo iniciado pela Academia Suíça de Ciências Médicas. A partir de 2017, o SNSF indica que o NRP 74 “vai financiar investigações sobre o sistema de saúde na Suíça e o estabelecimento de uma comunidade de investigadores para trabalharem em rede à escala internacional.”

Serviços de saúde, em consonância com a diversidade das necessidades

Um dos principais objetivos do NRP 74 é reduzir excesso de cuidados aos pacientes. “Considera-se tratamentos de cuidados excessivos os que não oferecem necessariamente um benefício de saúde ou são prejudiciais ao paciente”, esclareceu Milo Puhan.

Os medicamentos inadequados ou prescritos em grande quantidade ou ainda as ações consideradas indispensáveis representam igualmente um excesso de cuidados.

O NRP 74 também “enfatiza a falta de cuidados de que sofrem certas categorias da população”, por exemplo, quando um serviço médico fecha numa localidade rural, torna-se mais difícil aos habitantes aceder aos serviços básicos de saúde.

Reforçar a colaboração entre os profissionais de saúde

Os projetos de investigação do NRP 74 pretendem contribuir para o desenvolvimento de um novo suporte e modelos de cuidados para pacientes com doenças crónicas. Milo Puhan lembrou que o “sistema atual está centrado nos médicos, em particular em termos de vantagens de prestação de serviços. No caso das doenças crónicas, a intervenção do médico não é absolutamente necessária durante todo o tempo. Outros profissionais de saúde podem garantir bons cuidados aos pacientes”.

O SNSF esclarece que “o NRP vai em primeiro lugar analisar possíveis interfaces entre cuidados hospitalares e ambulatórias, integrando no estudo a assistência domiciliar aos doentes, mas os investigadores vão também analisa as colaborações entre profissionais de saúde que praticam diferentes tarefas”. Estas análises são essenciais para garantir a continuidade do tratamento, no caso haver uma mudança na natureza do apoio. “Esta continuidade não existe hoje, uma vez que os hospitais e os outros serviços médicos têm os seus próprios sistemas, gerando uma infinidade de registos, em bancos de dados, que não comunicam uns com os outros”, referiu Milo Puhan.

NRP em números

De acordo com a SNSF, o NRP 74 tem um orçamento de 20 milhões de francos, o equivalente a cerca de 18,66 milhões de euros. A NSF, até agora, aprovou 29 projetos de investigação dos 173 que lhe fora apresentados. Os primeiros resultados da investigação são esperados a partir de 2020 e a publicação de um resumo do programa está prevista para 2022.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz